8.2.16

Alimentação Natural

A Comida Natural 

É essencial compreender onde encontrar o alimento, e que é a necessidade premente de sobrevivência. Com a abundância de água e um local de repouso confortável, a maioria de nós podemos viver muitas semanas sem alimentos. 
No entanto, a comida é importante para o seu estado mental e emocional, bem como uma fonte de energia e para manter uma temperatura corporal normal. 
Em um ambiente natural você tem que tirar proveito de tudo que está disponível para comer. A maioria das áreas selvagens estão cheias de alimentos naturais, que vão desde plantas a insetos. As fontes de alimento que você pode explorar são determinados pelo habitat em que está. Variando a sua dieta para ter certeza de obter as proporções adequadas de gordura, proteína, carboidratos, minerais e vitaminas.

Carne e peixe são boas fontes de proteínas e gorduras, e fornecem virtualmente tudo o que um campista necessita a um longo prazo. Na primeira fase de uma situação rápida de alimentos, as plantas são a dieta mais adequadas, são facilmente acessíveis e contem os carboidratos necessários. Plantas comestíveis selvagens, dependendo da época do ano você  quase sempre encontra, a menos que você esteja em meio a um deserto árido. O conhecimento de apenas uma ou duas plantas silvestres comestíveis pode ser de grande ajuda em sua busca por alimento.

Saiba mais sobre comer plantas silvestres. Insetos comestíveis, suas necessidades nutricionais mais vitais em uma situação de sobrevivência que são proteínas e gorduras. A maioria dos insetos são ricos em ambos. Desligue a dieta cultural contra os insetos que comem. Insetos comestíveis são bons " alimentos de sobrevivência ".
Você saberá mais em.. Caça/ Pesca & Sobrevivência

Os peixes são uma valiosa fonte de alimento. Portanto, se você estiver perto de um rio ou riacho, a pesca é uma importante alternativa para obter alimentos. Aprender diferentes métodos simples de captura de peixe. A caça de animais pela carne é desaconselhável em uma situação de sobrevivência. A caça é difícil e você vai gastar muita energia para obter seu alimento. 
Ovos  de pássaros oferecem alto valor nutritivo, são convenientes e seguros. Eles podem ser cozidos, assados ou fritos. O primeiro lugar óbvio para olhar para eles é em um ninho. No entanto, nem todas as aves constroem um ninho, mas colocam seus ovos diretamente no chão ou em um buraco.

Os métodos de cozinhar  é uma habilidade de grande importância para todos os campistas em qualquer região selvagem. Cozinhar não só faz com que muitos alimentos fiquem mais apetitosos para provar, mas também garantir que os parasitas e bactérias sejam mortos, e você não quer ficar doente de intoxicação alimentar. Um fogão de camping compacto é muito conveniente e prático. No entanto, em muitas situações, uma pequena fogueira para cozinhar é mais eficiente e permite uma maior variedade de oportunidades na cozinha do acampamento. Com uma habilidade e técnicas de sobrevivência, você também deve ser capaz de preparar sua comida sem quaisquer utensílios de cozinha. 
Veja mais em..Técnicas avançadas de sobrevivência

Ainda hoje, muitas pessoas usam o termo ”comida natural” em várias situações, mas sem saber ao certo o que o termo significa realmente. Ele é amplamente usado com vários significados, mas não tem uma definição legal.
Em um acampamento selvagem ou semi-selvagem pode ser uma ótima oportunidade para encontrar comida natural extraída da mata.


Nossa Flora

Vamos dar exemplo de alimentos que sempre encontramos na nossa flora. Embora exista uma grande variedade, dependendo da região em que se encontra, relacionamos algumas principalmente na região sudeste, Mata Atlântica e litoral:
O Coco - é encontrado na maioria de nossas praias, a água ou o fruto em si. A água do coco tem componentes presentes no plasma do sangue e é conhecida por ter sido usada como um líquido endovenoso de hidratação no passado quando havia uma falta de líquido próprio para transfusão de sangue. A água do coco tem teores elevados de potássio, cloreto e cálcio. 

Todas as partes do coco, salvo talvez as raizes, são úteis. De fato em Sânscrito o nome para o coqueiro é kalpa vriksha, o qual se traduz como "a árvore da vida". Os usos de algumas peças da palma incluem: 
1) O branco, parte gorda da semente, é comestível (fresco) e usado (seco e dissecado) em culinária; 2) A cavidade é cheia de "água de coco" que contém os açúcares  são usados como uma bebida refrescante, e na composição de sobremesa; 3) Leite de coco ( tem aproximadamente 17% de gordura) é feito processando o coco ralado com água quente que extrai o óleo e os compostos aromáticos; 4) Os botões da ponta de plantas adultas são comestíveis e são conhecidos como "cabaço de coco"; 5) O interior da ponta crescente é chamado coração-da-palma ou "palmito" e comido em saladas, chamadas às vezes "salada do milionário" (isto também mata a árvore); 6) Copra é a carne seca da semente, usada para preparar o óleo do coco; 7) O resíduo que fica depois de preparar o óleo é usado como ração para animais; 8) O tronco fornece madeira para construção; 9) As folhas fornecem materiais para cestas e palha de telhado, muito bom para o campista; 10) A casca e a fibra do coco podem ser usados para combustível e são uma boa fonte de carvão de lenha; 11) A fibra pode ainda ser usada para o fabrico de cordas e tapetes; 12) Os Havaianos usam o tronco oco para dar forma a um casco cilíndrico, que serve como uma canoa pequena.

A Banana - encontrada em quase todas as nossas matas, principalmente Atlântica. A banana é o segundo fruto mais produzido e consumido no Brasil, sexto país no ranking da produção mundial, tanto como sobremesa como acompanhamento nas refeições.
Fruta-pão - é a preferida dos campistas. A polpa da fruta-pão de massa é rica em calorias, carboidratos, água, vitaminas B1, B2 e C, cálcio, fósforo, ferro e tem baixo teor de gorduras. Em uso caseiro, a polpa - quase madura - pode ser cozida, assada, transformada em purê ou cortada em fatias consumidas fritas com manteiga, mel ou melaço, como o aipim. Cortada em fatias (de 50–10 milímetros de espessura) secas ao sol ou em fornos, a polpa é usada para o preparo de raspas, crueiras ou aparas e para o preparo de farinhas que, misturadas à farinha de trigo, podem compor o pão caseiro. Madura, a polpa é aproveitada na fabricação de doces.

Taioba - A taioba é muita apreciada na cozinha típica de Goiás. É encontrada em toda a Mata Atlântica. As pesquisas já comprovaram que a folha tem mais vitamina A do que a cenoura, o brócolis, a couve ou o espinafre. Em particular é uma das minhas preferidas, bem preparada é igual (ou melhor) que couve a mineira. Por ser rica em vitamina A e amido, é um alimento fundamental para as crianças, idosos, atletas, grávidas e mulheres que amamentam. Em sua composição, encontramos cálcio, fósforo, ferro, proteínas e uma grande quantidade de vitaminas: vitamina A, vitaminas B1, B2 e C. Tanto o talo quanto as folhas apresentam os mesmos elementos, apenas em proporções diferentes. Nas folhas, encontramos mais ferro e mais vitamina A. O valor energético para cada 100g de talo é de 24 calorias, enquanto que, nas folhas, temos 31 calorias para as mesmas 100g. Vale destacar o perigo do consumo por engano da taioba-brava (Colocasia antiquorum Schott), paracidíssima planta tóxica se consumida por humanos devido ao oxalato de cálcio. Ambas as plantas possuem oxalato de cálcio e seu consumo causa ardor na garganta e na boca. Para o consumo da taioba mansa recomenda-se ferver as folhas por alguns minutos e em seguida escorrer a água usada.

Amoras silvestres - é também encontrada (aleatoriamente) em nossas matas. Os frutos são usados para a composição de sobremesas, compotas, e por vezes vinho.

A Romã - é como as amoras, além de ser usada também na medicina natural. Estudos mostraram que a romã pode ajudar a reduzir a pressão arterial e ser utilizada na prevenção de alguns problemas cardiovasculares.

Pitanga - Tem a forma de bolinhas globosas e carnosas, de cor vermelha (a mais comum), laranja, amarela ou preta. Na mesma árvore, o fruto poderá ter desde as cores verde, amarelo e alaranjado até a cor vermelho-intenso, de acordo com o grau de maturação. As pitangueiras com frutos são um ótimo atrativo para pássaros e animais silvestres em geral. Além de ser usada na medicina popular para tratar cefaleia. A tradição popular atribui algumas qualidades terapêuticas às infusões feitas com as folhas verdes da pitangueira ("chá" de pitanga ou "chá" de pitangueira).

GoiabaAs goiabas são consumidas principalmente in natura ou em forma de doces (goiabada), compotas, geleias, sucos e sorvetes. São muito usadas na indústria. São ricas em vitamina C, com de 180 a 300 miligramas de vitamina por 100 gramas de fruta (mais do que a laranja ou o limão). Têm quantidades razoáveis de vitaminas A e do complexo B, além de sais minerais, como cálcio, fósforo e ferro. Uso medicinal - Em etnofarmacologia é usada para diarreias na infância. O chá, em bochechos e gargarejos, é usado para inflamações da boca e da garganta ou em lavagens de úlceras e na leucorréia. O extrato aquoso do "olho" (broto) da goiabeira tem intensa atividade contra Salmonela, grandes responsáveis pela diarreias de origem microbiana. A atividade é mais forte na variedade de polpa vermelha, e mais fraca nas folhas adultas e casca.

Jabuticaba - Estão presentes, na polpa da jabuticaba: ferro, fósforo, vitamina C e boas doses de niacina, uma vitamina do complexo B que facilita a digestão e ajuda a eliminar toxinas. Na casca escura existem teores de pectina e a peonidina, além de um pigmento, antocianina, responsável pela coloração azul-arroxeada da jabuticaba. No reino vegetal, a cor da jabuticaba é devido à presença de antocianina, serve para atrair os passarinhos. Isso é importante para espalhar as sementes e garantir a perpetuação da espécie.

Limão - O limão, e em particular o seu sumo, é usada em bebidas, tais como a soda limonada (semelhante a limonada). Bebidas alcoólicas preparadas com lima incluem cocktails como caipiraço - com Bagaço, caipirinha, margarita (bebida), mojito, e Cuba libre. Na culinária, o limão é valorizado quer pela acidez quer pelo aroma floral do sumo e da raspa da casca. Também é usada pelas suas propriedades de conservação no "ceviche".

Jaca - Geralmente consumida no estado in natura, contudo são freqüentemente transformados em doces e geleias caseiras. Também pode ser consumida cozida. Pode ser utilizada como substituto vegetariano à carne de frango desfiada. Também é produzida uma espécie de cola atóxica artesanal de sua polpa.

Manga - Uma manga fresca contém cerca de 15% de açúcar, até 1% de proteína e quantidades significativas de vitaminas, minerais e antioxidantes, podendo conter vitamina A, B e C. Graças à alta quantidade de ferro que contém, a manga é indicada para tratamentos de anemia e é benéfica para as mulheres grávidas e em períodos de menstruação. Pessoas que sofrem de cãimbras, stress e problemas cardíacos, podem se beneficiar das altas concentrações de potássio e magnésio existentes que também auxiliam àqueles que sofrem de acidose. As mangas também suavizam o intestino, tornando mais fácil a digestão.

Carambola - De sabor agridoce, com coloração variando do verde ao amarelo, dependendo do grau de maturação, rica em sais minerais (cálcio, fósforo e ferro) e contendo vitaminas A, C e do complexo B, a carambola é considerada uma fruta febrífuga (que serve para combater a febre), antiescorbútica (que serve para curar a doença escorbuto - carência de vitamina C, e que se caracteriza pela tendência a hemorragias) e, devido à grande quantidade de ácido oxálico, estimulador do apetite. Seu suco pode ser usado para tirar manchas de ferro, de tintas e ainda limpar metais. Sua casca é utilizada como antidisentérico, por possuir alto teor de tanino - cujo poder adstringente pode prender o intestino.

Abacate -  É rico em açúcares e vitaminas e possui um dos mais elevados teores de proteínas e vitamina A entre as frutas. Possui, ainda, quantidades úteis de ferro, magnésio e vitaminas C, E e B6, além da vitamina A. É consumido isoladamente ou como sobremesa, batido com leite e açúcar ou com açúcar e limão.

Cajá - o cajá é uma fruta rica em sais minerais, tais como o o fósforo, o ferro e o cálcio. É também uma grande fonte de vitaminas A, B e C, apresentando também Fibras que aumentam a sensação de saciedade e tem pouca caloria, sendo incluso na maioria das dietas para emagrecimento. Sendo uma fruta ácida, em geral não é consumido ao natural, mas há quem goste. Pode também ser bebido como suco, ou consumido em forma de sorvete, geleias, vinhos, licores, refrescos, polpas e também como caipirinha.

Caju - O caju, o pseudofruto, é suculento e rico em vitamina C e ferro. Preparam-se sucos, mel, doces, como cajuada, caju passas, rapadura de caju. Como seu suco fermenta rapidamente, pode ser destilado para produzir uma aguardente o "cauim". Dele também são fabricadas bebidas não alcoólicas, como a cajuína. Existe uma variedade enorme de pratos feitos com o caju e com a castanha de caju.

Fruta do Conde - Produz um fruto muito semelhante ao da Annona coriacea, tipo baga, quase esférico e recoberto de escamas verdes, com peso médio entre 200 e 400 gramas. Pode ser consumido ao natural ou em forma de sucos, doces ou sorvetes.

Maracujá - O fruto é utilizado especialmente para produzir suco ou polpa de maracujá, às vezes misturada ao suco de outros frutos, como a laranja. É popularmente conhecido como a fruta da tranquilidade. Este fruto é fonte de vitaminas A, C e do complexo B. Além disso, apresenta boa quantidade de sais minerais (ferro, sódio, cálcio e fósforo). Sua utilização como sedativo é conhecida desde a antiguidade, entretanto essa não é sua única utilização, pois pode ser utilizada como calmante, hipnótico, sonífero e tonificante.

Laranja - O sabor da laranja varia do doce ao levemente ácido, mas na natureza existem também as laranjas extremamente ácidas, que pertencem a outra espécie. Frequentemente, esta fruta é descascada e comida ao natural, ou espremida para obter sumo. As pevides (pequenos caroços duros) são habitualmente removidas, embora possam ser usadas em algumas receitas. A casca exterior pode ser usada também em diversos pratos culinários, como ornamento, ou mesmo para dar algum sabor. O albedo, a camada branca interior da casca, de dimensão variável, raramente é utilizado, apesar de ter um sabor levemente doce, é recomendada para "quebrar" o sabor ácido da laranja na boca, após terminar de consumir o fruto.

Tangerina - O valor nutritivo do suco ou da polpa varia conforme a espécie, mas é sempre boa fonte de vitaminas A e C e sais minerais como potássio, cálcio e fósforo. Os frutos produzidos em agricultura biológica são mais ricos em vitamina C que os produzidos na agricultura convencional. A vitamina C é essencial para o sistema imunológico. A vitamina A é indispensável para a saúde dos olhos e da pele e aumenta a resistência às infecções. As vitaminas do complexo B fortificam os nervos. A tangerina é considerada grande fonte de magnésio. O ser humano precisa de magnésio, apresentando maior concentração desse mineral nos ossos e músculos. Ele tem papel importante na síntese das proteínas, na contratilidade muscular e na excitabilidade dos nervos. Popularmente, a tangerina é conhecida pelo seu efeito diurético, digestivo e aumento na eficiência física.

Tamarindo -  a polpa do fruto, com sabor agridoce, é usada no preparo de doces, bolos, sorvetes, xaropes, bebidas, licores, refrescos, sucos concentrados e ainda como tempero para arroz, carne, peixe e outros alimentos.

Jamelão - O fruto possui uma semente única e grande, quando comparada com o tamanho do fruto, envolta por uma polpa carnosa. Apesar de sabor um pouco adstringente, é agradável ao paladar, além de ser consumido in natura, é usado na confecção de doces e tortas. Na Região Nordeste do Brasil, é conhecido como "azeitona-preta", oliveira, e jamelão dependendo do estado. Nessa região, a planta adaptou-se tão bem que se tornou espécie subespontânea, sendo chamada de "brinco-de-viúva". Também é comum no litoral paranaense, onde recebe o nome de "guapê".

Em Busca de uma Definição Formal
Para saber qual a verdadeira importância da alimentação natural e identificar certos frutos e hortaliças que certamente encontraremos em um camping selvagem, é muito fácil para, basta explorar a localidade, observar com cuidado, e encontrar o seu alimento preferido.
Agora em um camping organizado, com sua cozinha, basta tomar algumas definições, e saber a diferença exata dos alimentos.
A primeira vez que o nome “comida natural” foi usado, ele se referia às comidas macrobióticas. Depois, passou-se a chamar todas as comidas sem produtos industrializados de ”comidas naturais”. Há quem use o termo para falar das comidas usadas em dietas.
Porém, as Diferenças são Claras:
Alimentos macrobióticos: O termo macrobiótico tem origem grega e quer dizer “que vive muito, de longa vida”. É uma dieta que envolve o consumo de grãos e cereais e vegetais.
Não se consomem comidas processadas ou refinadas.
Muitas pessoas acreditam que essa seja a dieta ideal para a prevenção do câncer, mas isso não foi formalizado pela medicina que ainda aconselha que esse tipo de dieta não deve ser usada como meio exclusivo de prevenção, por não ser completa e suficiente para o organismo humano.
Produtos diet e light: É muito vasta a lista de produtos que o mercado oferece hoje em dia para aqueles que buscam perder peso de forma ”natural”. É por isso mesmo que existe uma dúvida quanto aos termos dados para esses produtos.
Os produtos light são aqueles que possuem uma redução na quantidade de calorias ou nutrientes ”engordativos”. Ideais para aqueles que querem fazer uma dieta. Porém, esses alimentos não estão livres da presença do açúcar.
Já os produtos diet, são aqueles ideais para os diabéticos, pois o açúcar é trocado por produtos similares, como a frutose.

Produtos orgânicos: foi o Departamento de agricultura dos Estados unidos (USDA) que oficializou o termo ”orgânico”. Os produtos orgânicos são aqueles que não contem fertilizantes, antibióticos, colorantes, adoçantes artificiais e nem aromatizantes em seu processo de produção.
Outra condição para que o alimento seja orgânico é que ele não pode ser transgênico, ou seja, não pode ser um organismo que contém um ou mais genes transferidos artificialmente de outra espécie.
Mesmo que a comida orgânica sendo a que mais chegue perto de algo que seja verdadeiramente ”natural”, a definição de comida natural ainda é inexistente.
O que se sabe, é que o alimento orgânico é um tipo, ou poderia estar inserido dentro dos tipos de alimentos naturais.

Alimentação radicalmente natural:
Com milhões de adeptos nos dias de hoje, os vegetarianos tem ganhado espaço na sociedade e conquistado um mercado especialmente particular.
Vegetariano é a pessoa que se alimenta estritamente de comidas naturais. Há diversas variantes. Há os vegetarianos que não comem carne ou derivados de carne, consumindo apenas vegetais, frutas, grãos e frutos secos.
Eles também se dizem consumidores de ”comida natural”.

Este é o termo que mais se aproxima em um camping natural, com algumas adaptações nessa alimentação puramente vegetariana, como; peixes e aves, e claro, a carne vermelha em último recurso.
Independente de qual dessas variações você estiver, ou se está pensando em começar a seguir alguma delas, lembre-se: procure sempre um profissional para lhe orientar, pois alimentação apenas de produtos naturais não significa 100% de saúde. O seu corpo pode requerer mais do que esses alimentos podem dar.


O poder da palavra Natural - O cuidado no mercado 

O interesse crescente do público para uma melhor nutrição, gera confusão: 
Legalmente autorizado pelo significado ambíguo de "natural", como utilizado pela indústria de alimentos, permite-lhe oferecer cada vez mais aos consumidores produtos naturais ... que nem sempre são!
Deve notar-se que esta confusão é tornada possível pela permissividade da lei em muitos países, o que não proporciona uma definição legal da palavra "naturais" nos alimentos.
Alguns fabricantes chamam de natural, porque não passou por grandes transformações e que não contém aditivos químicos, mas pode conter açúcar, sal ou gordura hidrogenada (gordura trans assim) que deve ser considerado como tal.
Muitas vezes, embalagem semeiam a confusão total e só deve ser tomada em conta, para ter uma idéia mais realista da qualidade de um produto, listados em ordem de importância, indicando todos os itens incluídos na composição do produto.

A definição geralmente atribuída aos alimentos naturais, é um produto não transformado, não desnaturada, entregues quase como a natureza criou, sem removê-lo, sem acrescentar qualquer coisa.
Deve-se admitir que esses alimentos não é necessariamente propício para a saúde. 
É importante fazer a pergunta: estamos à procura de comida, porque é natural, porque quando é propício para a saúde?
Lembre-se que a meta dos alimentos é fornecer nutrientes para o nosso corpo, qualquer contribuição será inútil e prejudicial.
Um alimento orgânico é obtido por um método de cultivo de promover a vida e excluindo a contribuição de qualquer síntese química, quer sob a forma de fertilizantes, fungicidas, herbicidas, insecticidas, etc.

Todos os produtos alimentares vendidos sob o rótulo de "natural" nem sempre são a partir de agricultura orgânica. Longe disso. Produto, não orgânico, natural, vendido sob o nome, é a partir do mesmo método de cultivo de um produto convencional.
Por isso é muito importante para decifrar a palavra "alimento natural" e certifique-se que é um produto realmente para  promover a saúde, de preferência derivadas de cultivo orgânico certificado.
Aqui estão 3 tipos de alimentos que é encontrado no mercado:
Alimento convencional: É tratado industrialmente como refinado, contém aditivos para melhorar a conservação, sabor, aparência, etc. Contém resíduos de pesticidas resultantes da agricultura e da pecuária.
Alimentos naturais: Não refinados (ou muito pouco). Não contém nenhum aditivo (mas alguns produtos vendidos como natural, contem aditivos sob a forma de açúcar, principalmente escondido sob nomes tais como glucose, dextrose, frutose, xarope de milho, etc. ), o sal é também frequentemente usado como um aditivo em alimentos chamado "natural".

O produto pode conter óleos hidrogenados, de modo que a presença de ácidos gordos trans, que são conhecidas por ser muito prejudicial para a saúde. Às vezes, podemos encontrar outros aditivos indesejáveis ​​e perigosos para a saúde. 
Este tipo de alimentos contêm, como a comida convencional (que são da mesma cultura), os resíduos de produtos químicos indesejáveis.
Alimentos orgânicos: Não são refinados, não contém aditivos ou pesticidas resíduo. 
Mostra-se agora que os alimentos cultivados organicamente são mais ricos em nutrientes. 
No entanto, a poluição global do ar e da água nem sempre pureza absoluta, mas é certamente a melhor. 
Pergunte sobre a seriedade da organização que concede o selo orgânico para o alimento que você vai comprar.
Temos de aprender a ler os rótulos e tome cuidado e juízo, para certificar-se de consumir um alimento que corresponda o máximo possível para o que deveria ser um alimento natural, isto é um alimento para promover a saúde.

Para ter maior compreensão sobre comida natural, principalmente as frutas, veja:

Leia mais..Plantas comestíveis e venenosas


Nenhum comentário:

Postar um comentário