8.2.16

Como sair do meio do mato

O início das férias está próximo e é bom você se preparar para elas. E para quem prefere a aventura de explorar a natureza, deixando de lado o conforto da cidade, uma opção é o camping selvagem.
Logicamente os preparativos de verão são maiores e por isso é bom se lembrar de algumas regras básicas, que certamente farão desse passeio um lazer mais completo e seguro.
Num camping selvagem, não é aconselhável acampar sozinho e nem levar crianças, mas, se você não tem outra opção, escolha uma área que não seja acidentada – para facilitar a armação da barraca e de todos os movimentos – e prefira o litoral, cujo acesso é geralmente mais fácil.
Quando montar a barraca, não deixe de fazer uma caneleta à sua volta porque, se chover, a água escoará e a barraca ficará livre da sua invasão.
Não esqueça também de cavar duas fossas, uma para o WC e a outra para o lixo. É bom cavá-las a mais ou menos 100 metros de distância da barraca e observe a direção do vento para escolher o local.

No fim de cada dia, cubra os dois buracos com terra. Com esses cuidados, você evitará que insetos, ratos e até cobras se aproximem do acampamento, atraídos pelo cheiro dos detritos.
Nunca deixe de levar uma caixa de pronto-socorro de urgência, acrescentando ampolas de soro antiofídico polivalente e seringas descartáveis. 
Além da barraca, leve roupas simples: calças compridas, largas e de brim grosso - que protegem contra espinhos e insetos -, camisas de mangas compridas e botas de cano alto (de preferência impermeável).
Para comer, o mais recomendável é levar alimentos de fácil transporte, de preparo rápido e que não sejam perecíveis, isto é, que não precisam de geladeira para sua conservação. O melhor é carne seca, farinha de mandioca, produtos em tabletes, sopas de pacote e também rapadura e chocolate, que suprirão as calorias gastas em longas caminhadas.
Material básico indispensável: cantil, bússola, faca e pederneira.

O equipamento para quem acampa numa área selvagem precisa ser completo: uma bússola (se possível do tipo que tem mira na tampa e facilita a orientação), facão, machadinha, recipiente para água (de preferência dobrável e de plástico), caixa de fósforo, isqueiro ou pederneira, apito, espelho de sinalização, mosquiteiro, rede ou saco de dormir, repelente contra insetos, cantil, esterilizador para purificar a água que vai beber.
Levando isso tudo, por acaso se perder, dá um bom tempo para você sobreviver e se restabelecer. 
Existe no comércio facas apropriadas com kit de sobrevivência embutido. 
"E nunca vá sozinho e, prefira sair de dia". 
Preste bem atenção; tem pessoas que morreram a menos de 500 metros do próprio acampamento; deveriam estar andando em círculos, completamente sem nenhum senso de rumo ou direção.

Isto é uma mata fechada; "de dia" imagine você perdido aí a noite e sem nenhum senso de direção.
Certifique-se bem da posição do acampamento antes de sair e vá marcando setas nos troncos das árvores com o facão, quebrando galhos (deixando marcações para você quando voltar saber sua localização) indicando a direção que está seguindo.

Quando se perder  

Se por acaso se perder, e não souber o caminho de volta, e não for um Bear Grylls da vida, não perca a calma. 
No caso de você se perder no mato, a primeira providência a tomar é verificar a sua posição em relação a barraca, através da bússola ou pela posição do sol. 
Lembre-se que o sol nasce no leste e se põe no oeste, portanto se for antes do meio dia, dando-se o lado direito para o sol, na sua "frente estará no norte e atrás o sul".

Cruzeiro do Sul

Se você se perder à noite, poderá orientar-se pelo Cruzeiro do Sul. Olhando para a estrela que forma a ponta mais longa da cruz, prolongue-a visualmente umas quatro vezes e daí trace uma vertical até a linha do horizonte, aí estará o Sul.

sbpc93_f09

Usando seu relógio 

Para essa técnica; de dia, você precisa  possuir um relógio de pulso analógico, que deve estar marcando a hora certa e levando em conta o horário de Verão.
Mantenha o relógio paralelamente na horizontal e aponte o número 12 para o sol. 
Crie uma linha imaginaria entre o nº 12 e o ponteiro menor (das horas). 
Essa linha é o Norte.

Orientação pela sombra 

Você irá precisar de uma estaca de preferência 1 metro. 
Enterre parte dela no chão, em uma superfície plana e ensolarada. 
Coloque uma pedra (ou pequeno graveto, como marcação) na ponta da sombra. 
Espere cerca de 15 minutos e coloque outra marcação na ponta da nova sombra.
A linha entre as duas marcações formam o oeste (primeira marcação) e o leste (segunda marcação). 
A linha perpendicular a esta linha formam o norte-sul.

Enquanto procura o caminho de volta, não se esqueça de ir sinalizando nos troncos das árvores ou cortando galhos ou, ainda pondo pedras no chão, procure sempre por água, córregos ou riachos, eles sempre dão em rios maiores, e é mais fácil encontrar sinais de vida, como uma aldeia, vila, etc.

Água

Sem água uma pessoa pode viver de quatro a cinco dias no máximo, enquanto que com ela, poderá resistir, sem alimentos, até mais de quarenta dias!.
Por isso, se o seu cantil estiver vazio, a primeira providência a tomar, será procurar água. 
Se o lugar for montanhoso, você encontrará nos vales e baixadas. 
Se não a conseguir e tiver um pedaço de plástico, faça um pequeno furo no meio, coloque-o em forma côncava com uma caneca embaixo do furo, dessa forma, o orvalho irá escorrendo por ele e se depositando na caneca, essa operação é válida também se estiver garoando.
Nos dias de chuva e se você não tiver o plástico, será mais fácil ainda, pois a sua própria camisa, torcida, lhe fornecerá água.
Saiba que quase todos tipos de cactus contém água potável no seu interior (cuidado; alguns, podem ter água contaminada, então ferva-a), qualquer cipó (ou bambu), que não esteja seco também pode fornecer água para essas emergências (é mínima, mas nessa hora é ouro!). 
Corte um pedaço de um metro mais ou menos e beba sem receio, essa água também é potável, e geralmente, dentro de folhas grandes, você encontrará ainda um pouco de água da chuva.
Mas antes de tomar água de rio, lago ou poço, coloque nela o produto esterilizador, caso não tenha, o melhor é ferver a água.

Alimento

Em caminhadas longas é sempre bom levar uns tabletes de rapadura e chocolate, ou pedaços de carne-seca crua, que suprirão as calorias gastas.
Mas no caso de se perder e esquecer esses ingredientes, e na impossibilidade de caçar, você poderá se alimentar com algumas folhagens.

Vegetais e frutos

Desde que não sejam amargas e não produzam entumecimento da língua ( inchaço e adormecimento), procure palmito, brotos de samambaia, de capim e de bambu.
Quanto aos frutos, salvo os já conhecidos, é melhor evitar os frutinhos do mato, que em geral são venenosos.
Uma boa dica é: Se você não conhecer um fruto, repare se as aves e animais o comem, se comerem, pode comer à vontade.
Não sabe ainda? 
Leia mais.. Plantas/ Frutas; Comestíveis e Venenosas.

Animais

Quase todas as espécies de peixes de rio ou de mar são comestíveis, exceto o baiacu, moreia, caramujos, medusas ou água-viva e algumas espécies de arraias.
Você poderá comer rãs, mas tome cuidado para não comer sapo, pois ele tem um líquido venenoso em seu corpo, vale também para as salamandras.
Uma dica: qualquer animalzinho que seja muito colorido (preto/amarelo, preto/vermelho, preto/verde, azul, etc.. mesmo morrendo de fome não coma! você morre do mesmo jeito).
rãzinha venenosa
800px-Dendrobates_pumilio
Salamandra
800px-Salamandra_salamandra_CZ
Sapo Corrobore - parece uma rã
Sapo CorroboreeFrog
Ainda que pareça incrível, você poderá alimentar-se com qualquer tipo de cobra, inclusive as venenosas. 
Mas você deve tomar a seguinte precaução: Corte fora uns quatro dedos depois da cabeça (e outros quatro dedos a partir da cauda só para garantir), porque nessas partes é que se aloja o veneno.

Cabanas improvisadas

Para passar a noite no meio do mato, a melhor solução é improvisar uma cabana, tendo uma rede de dormir com você, o problema será bem menor.
Coloque-a entre dois troncos de árvores, passe inseticida nas duas extremidades – para evitar formigas e aranhas – e cubra-se com um plástico para proteger-se do sereno ou da chuva.
A rede deverá ser colocada a um metro do chão. 
Caso você tenha uma lona e uma boa corda, poderá construir uma pequena cabana como a da foto, logo abaixo.
Sem a rede e a lona, você deverá procurar um terreno seco e construir um "tapiri", trata-se de uma cabana feita de galhos e folhagens com teto de uma água.

Essa pequena cabana precisa ter um estrado feito de galhos e coberto com folhas de sapé, palmeira ou qualquer outra folhagem larga. 
O teto também deve ser feito da mesma forma e com o mesmo material. 
Com a ajuda da machadinha, uma boa faca ou um facão, não é difícil de construí-la.

Tapiri

Exemplo de um tapiri, espécie de abrigo improvisado

Se for perto da praia, procure construir este abrigo próximo, um metro mais alto, por causa da maré a noite, faça uma fogueira e não deixe ela apagar, por causa de algum barco passar ao longe o identifique.

Fogo

Você precisará de fogo para se aquecer, para se manter enxuto, para sinalizar, para cozinhar ou ferver água que precisa beber.
Não faça uma fogueira "muito grande", as fogueiras pequenas exigem menos combustível e são mais fáceis de controlar. 
No tempo frio, pequenas fogueiras "dispostas em círculo", em volta de uma ou mais pessoas, produzem melhor calor do que uma só e grande.
Prepare com cuidado o local para sua fogueira, limpe a área num raio de 3 a 6 metros, para que o fogo não se espalhe e provoque um incêndio na floresta. 
Se o chão estiver seco, mas coberto de galhos ou folhas, raspe tudo até chegar a terra pura. 
Se a fogueira tiver de ser acesa sobre terra úmida, procure uma plataforma de toros ou de pedras chatas. 
Para lenha, use a madeira de árvores mortas e galhos secos. 
Madeira verde também pega fogo, desde que cortada em pequenos pedaços. 
Nas áreas sem árvores, você poderá encontrar outros combustíveis naturais, como, por exemplo; o capim seco ou qualquer tipo de mato seco.

Se você estiver sendo procurado sob comandos aéreos ou terrestres, trate de facilitar a sua localização. 
Abra uma clareira (se estiver no meio do mato fechado), faça uma fogueira, e quando ouvir ruídos de aviões, jogue folhas verdes em cima do fogo para provocar bastante fumaça.
Durante o dia faça sinais com um espelho ou sua faca, e na praia faça um grande S.O.S.  ou um Y com pedras, estes são os pedidos internacionais de socorro.
Mas o principal é não se precipitar nem perder a calma. 
Pare e pense: Onde estou? para onde vou? que rumo estou seguindo? 
Se o terreno for plano, marque sempre um ponto de referência até alcançá-lo e depois outro, e assim por diante, para não acontecer de você ficar andando em círculos por causa dos obstáculos naturais. Se for um local acidentado, pare mais vezes para orientar-se. 
E nunca perca a calma.

Em resumo, aqui estão as regras básicas para você evitar se perder no meio do mato e o que fazer se isso acontecer:
1 - Nunca entre na mata antes de verificar a posição do acampamento em relação ao sol, pela bússola ou usando qualquer outro ponto de referência. Em uma mata fechada, a poucos metros do acampamento, é fácil se perder, porque as árvores o confundirão pelo ambiente de aspecto parecido.
2 - Ao caminhar, deixe sinais na pista, tanto para a volta como para outros o seguirem. Não tendo um facão ou canivete, os sinais poderão ser improvisados com galhos, pedras, varetas, pedaços de pano, riscos nas árvores ou no chão.
3 -  Se for à noite, tente orientar-se pelas estrelas, principalmente o Cruzeiro do Sul.
4 -  Nunca deixe faltar água e, no caso de encontrá-la, não se afaste muito dela. Lembre-se também que os riachos desembocam quase sempre em rios maiores e estes sempre passam por alguma cidadela ou aldeia.
5 -  Reserve suas forças, dividindo seu tempo racionalmente: descanse quando o sol estiver muito forte e proteja a cabeça com folhas no caso de estar sem chapéu.
6 - Se pressentir animais, durma em árvores.
7 - Durante a caminhada, um colar de folhagens ajudará a espantar os insetos.
8 - Um bom truque para ajudá-lo a orientar-se é reparar nos troncos das árvores: o lado liso e seco é Norte, enquanto que o úmido e com limo é o Sul (e não o contrário, como diz alguns autores erradamente; só se ele estiver no hemisfério norte).
9 - Com a calma necessária, não há possibilidade de alguém morrer de fome ou sede em plena mata.

Estas são as regras mais importantes e básicas; mas se você quer se aprofundar mais no assunto como um veterano: 
Leia mais.. As técnicas avançadas












2 comentários:

  1. Olá. Bom dia.
    Curti bastante sua page.
    Tens algum canal no You Tube?
    Estou sempre em busca de tais conhecimentos... Também fazia Bio.
    Enfim.
    Parabéns, aí.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá José, tudo bem?
      Eu não tenho nenhum canal no You Tube, apesar de gostar muito.
      Meu único canal é aqui! trabalhando e pesquisando.
      Muito obrigado José, pela preferência e atenção.
      Um grande abraço, de amigo Bio.

      Valter da Silva Luna.

      Excluir