caping2

8.2.16

Trailer e motorhome

Caravanismo


Uma aventura sobre rodas 

Antes de começar este capítulo (não com muito contento no que sugere este espaço), posso dizer que o trailerismo está para os campings organizados como o campista com barraca às costas para os campings selvagens.
Nos países europeus, principalmente, existe trailers, motorhomes (casa motorizada), quase como totalidade de carros particulares, e isso também vale para os campings organizados que existem aos milhares. 
Mas a nossa realidade é outra, por exemplo: Quando você viu o último trailer ou motorhome passeando pelas nossas ruas? eu particularmente não lembro.

Mas aqui, existe sim, e para poucos, os que gostam e outros com poder aquisitivo alto, que se alocam em campings organizados ou param a beira de estradas, que não vem ao nosso caso específico.
Além de vários artistas, cantores, principalmente os de música sertaneja usarem eles para se locomoverem com as suas respectivas bandas.
Levantamento recente da Universidade de Michigan, nos Estados Unidos, revela que a quantidade de motorhomes no país alcançou nível recorde. 
Já no Brasil, encontrar uma casa com rodas na estrada é quase tão raro quanto um "mico-leão-dourado". Por aqui, ambas as espécies estão ameaçadas.

A cultura da família norte-americana de fazer turismo a bordo de um veículo recreativo é antiga. 
São mais de 16000 campings por aquele país com estrutura para receber trailers e motorhomes. 
Em 2008, um estudo comparativo entre os custos de uma viagem de férias de quatro pessoas em um motorhome e com outros meios de transporte mostrou que a economia varia entre 27% e 61% a favor das casas móveis, incluindo gastos pessoais e de combustíveis.

No Brasil, viajar com a cabana nas costas tem ares de aventura e exotismo. 
“Os brasileiros têm o hábito de ter imóvel na praia ou um sítio para onde viajam nos fins de semana e feriados".
Segundo estimativa feita pela associação, existem no país cerca de 1800 proprietários de motorhomes e 2000 de trailers recreativos.

O Denatran não possui registros precisos porque a classificação motorcasa teve início em 2008.
Apesar do reduzido número de adeptos do campismo sobre rodas no Brasil, aqueles que adotaram esse "estilo de vida" não trocam sua casa a tiracolo por um imóvel. 
Os campings para esses veículos são ambientes acolhedores. Em alguns, há piscinas, cantinas, quadras e salões de festa. Assim, forma-se um vínculo forte entre todos os frequentadores.

Custos e infraestrutura 

Engana-se quem imagina que o preço dos motorhomes explique sua escassa presença nas estradas brasileiras. “A partir de 40000 reais dá para comprar um motorhome seminovo. Para deixá-lo estacionado em um camping, a mensalidade fica em torno de 350 reais”.
A manutenção está para a de um carro de passeio, como a conservação da “área residencial” está para a faxina de um pequeno apartamento. 
Em sua maioria, usam chassis Mercedes-Benz, Ford e Iveco, e basta levá-los à concessionária para as revisões. 
O motorhome é basicamente um ônibus. No Brasil, o combustível utilizado é o diesel e faz-se uma média de 7 km/l.

No Brasil, existem cerca de 200 campings para receber os veículos recreativos, um número modesto. Os destinos nacionais preferidos pela turma de campistas são Caldas Novas (GO) e Porto Seguro (BA). 
Existem empresas que alugam trailers, a partir de 80 reais a diária. Em campings, a estadia no estado de São Paulo tem preços que partem de 15 reais. Mas dá para estacionar o veículo em outros lugares. Como eles têm caixa d’água e bateria de energia de 12 volts ou geradores, é possível parar em postos de gasolina, utilizados como paradas de caminhoneiros.

Para quem não pretende fazer um grande investimento ou está a fim de experimentar a modalidade do turismo-caramujo, há empresas que alugam motorhomes e trailers; no caso dos motorhomes, a locação se faz somente com motorista da empresa. Ou então fique com seu trailer, mas faça sempre uma manutenção periódica.

Tamanho e dirigibilidade

Tanto o trailer como o motorhome estão disponíveis nos tamanhos pequeno, médio e grande. 
O presidente da Associação Pé na Estrada, Nivaldo Massa, conhecido como Tico, de 70 anos, costumava acampar com o colégio em praias vizinhas a Santos. 
Não parou mais, comprando o primeiro veículo recreativo aos 46 anos.
Ele e a esposa Maria Aparecida, de 55 anos, conhecida como Tica, dirigem a casa sobre rodas e transportam toda a família. Para isso, tiveram de tirar habilitação para categoria D, a mesma para motorista de ônibus, de acordo com as exigências da legislação, a partir do novo Código de Trânsito Brasileiro, de 1997.

Essa obrigatoriedade existe apenas aqui, mas, de acordo com Massa, é uma forma de garantir a boa dirigibilidade do veículo e maior segurança ao proprietário. 
Quem tem trailer precisa ter a carteira E (para caminhões articulados). 
Pela lei, é permitido a quem tem carteira B (amador) conduzir veículos com peso bruto de até 3500 kg, exceto trailers.

Mas houve mudanças na lei: Edição de 13 de maio de 2010 - Senado.
Novas regras para condução de trailer e motocasa:
O motorista habilitado na categoria B (carro de passeio) poderá dirigir veículo classificado como motocasa com peso inferior a seis toneladas ou lotação máxima de oito lugares, excluído o motorista. Essa autorização já havia sido aprovada em projeto (PLS 168/99) no Senado.

Aprenda a dirigir com trailer

Dirigir um carro rebocando um trailer exige alguns cuidados especiais. Uma das regras básicas é não fazer movimentos repentinos com a direção: os movimentos devem ser suaves para que o trailer não oscile e não comprometa a estabilidade do conjunto. Nas curvas, por exemplo, não se pode modificar a trajetória iniciada. Se for preciso retificar a linha da curva, deve-se contentar apenas em diminuir a velocidade. Terminada a curva é que se retomará a linha reta suavemente. No caso de curvas fechadas, é preciso mudar o câmbio para a marcha inferior antes de começá-la e não no meio dela. Seja qual for a situação, é preciso sempre ter uma reserva de potência no motor, isto é, deve-se estar com o câmbio engatado em marcha suficiente para puxar o conjunto sem muito esforço.

Outro cuidado importante é saber reduzir a velocidade. O freio deve ser considerado apenas elemento auxiliar. O ideal é manter velocidade adequada para o lugar e a natureza do terreno em que se trafega a fim de evitar a necessidade de reduzir a marcha repentinamente. Nas ruas ou estradas em mau estado, deve-se diminuir a velocidade muito mais do que se estivesse andando com o carro sem o reboque, sempre usando a elasticidade do motor em vez dos freios.
Em relação aos freios, aliás, é preciso lembrar que, seja qual for a eficiência deles, a distância de frenagem com o trailer engatado ao automóvel aumenta sempre 50% em relação ao carro sem reboque.


Para estacionar o trailer paralelamente a outros, deve-se virar a direção do carro para o lado contrário ao em que se quer colocar o reboque (1 e 2).


 Assim, para colocar o trailer numa vaga à direita, deve-se virar a direção para a esquerda. À medida que o trailer toma o rumo desejado, endireita-se a direção (3) e começa-se a virá-la para o lado em que o reboque está entrando (4).

Por fim retifica-se a direção do carro até que o trailer e o próprio carro estejam alinhados com os outros estacionados (5).

Saber ultrapassar também é muito importante. Basicamente não se deve andar muito perto do veículo que vai à frente; o ideal é manter a distância mínima de 60 metros e só iniciar a manobra de ultrapassagem quando houver pelo menos 500 metros de estrada livre à frente do carro que se vai ultrapassar. Terminada a ultrapassagem, deve-se voltar lentamente à faixa da direita. Naturalmente não se deve ultrapassar caminhões em descidas, porque em geral eles aumentam muito a velocidade e podem impedir a manobra segura.
Nas descidas também é preciso não deixar que a velocidade aumente muito, porque o peso do trailer tende a empurrar o carro e descontrolá-lo. O melhor é descer com a marcha engatada que se usaria para subir a mesma inclinação, utilizando, portanto, o freio-motor.
No entanto, o que os motoristas mas estranham quando começam a dirigir carro com trailer são as manobras de marcha à ré. O fundamental é que, no início da manobra, a direção do carro deve ser virada para o lado contrário ao em que se quer colocar o trailer. Assim, por exemplo, para colocar o trailer numa vaga à direita, vira-se primeiro a direção para a esquerda. À medida que o trailer toma o rumo desejado, vai-se voltando a direção até virá-la também para o lado direito, a fim de dar ao carro a mesma trajetória dada ao trailer.

Só num caso absolutamente especial é que se deve desprezar a regra geral de usar movimentos suaves quando se puxa um trailer: é quando se nota que o reboque derrapa violentamente numa curva. Nesse caso é preciso frear também com violência. Foi a conclusão a que chegaram técnicos em testes. Eles perceberam que a tendência à derrapagem aumenta proporcionalmente ao peso do reboque e da velocidade. E que para estabilizar um trailer que derrapa é preciso diminuir a velocidade, já que não é possível diminuir o peso.
Dessa forma, se o trailer começar a derrapar, deve-se frear com força por três razões: a velocidade - portanto a causa da derrapagem - diminui rapidamente; terminada a ação do freios do carro, continua a dos freios do trailer e assim o ocorre um movimento de tiro (por parte de carro), que volta a alinhar o comboio; por fim, durante a freada, o centro de gravidade (que é alto no trailer) é impulsionado para a frente, aumentando o peso no engate e, consequentemente, do eixo traseiro do carro, o que melhora a estabilidade.

Motorhome x trailer 

“Cada um tem suas vantagens. No motorhome, enquanto um dirige, é possível circular internamente ou fazer uma refeição, por exemplo. Já com o trailer, é preciso estacionar para comer ou usar o banheiro. Por outro lado, deixar o trailer estacionado e sair com o carro para circular pode ser um recurso bem-vindo, especialmente em localidades com ruas mais estreitas.” 

Quanto à questão de privacidade, os dois têm o mesmo problema. “As paredes são finas, a estrutura não acoberta movimentos”.  
Mas nada melhor para aproximar os casais e os filhos que passar dias viajando. “É o grande barato dessa vida, a promoção da união da família, com grande dependência um do outro.” 
Por dentro da casa sobre rodas, tudo varia conforme a vontade do proprietário e o espaço interno: os armários são sempre embutidos, os móveis são fixos e há geladeira, fogão, chuveiro a gás, vaso sanitário e o que quiser, como em uma casa ou um barco.

“É preciso gostar, ter calma, não ter pressa, e aceitar as condições da natureza, como chuvas e ondas de muito calor. Em troca, o para-brisa do motorhome oferece uma janela para o mundo, tudo passa à sua frente”.

Uma vez com um trailer, trailer para sempre, dizem os aficionados no assunto, mas o habitual é começar com um pequeno e passar para os maiores à medida que o costume ou a família aumenta.
Alguns modelos são extremamente sofisticados: tem ar-condicionado, tv, som, computador, geladeiras grandes, fogões com forno, revestimento interno imitando alvenaria, banheiros luxuosos, suíte de casal. 
Com tantos acessórios assim, nada sobra de opcional.

O trailerismo não está muito em moda aqui; observe que só nos E.U.A. muitas pessoas moram mesmo neles, como se fosse sua própria casa. 
Outro exemplo são os nossos campings organizados, você vê um ou outro trailer estacionado, então é a prova incontestável que não é a nossa praia.
Aliás o trailer ainda exige várias recomendações para poder andar com ele; perante a lei, os trailers rebocados não podem trafegar com gente dentro e devem ter esquema próprio de sinalização, além de placa de identificação e documentação. 
No carro exige-se a instalação de espelho retrovisor do lado direito. 
Exige um determinado limite de velocidade, cuidado dobrado nas ultrapassagens, por causa do comprimento.

Motorista e acompanhantes viajam sem preocupações, podem ir para qualquer cidade, estado (ou sair do país), podem inclusive esquecer que o trailer existe e cuidar somente de usufruir ao máximo a viagem. 
Além do trailer convencional, que é o mais procurado, existem duas opções para quem quer uma casa sobre rodas: o motorhome e o camper. 
O motorhome é uma carroceria de trailer montada sobre um chassi de caminhão (ônibus), caminhonete ou mesmo Kombi, com todas instalações internas do trailer, a diferença é que o motorhome não é rebocado, a casa faz parte do carro.

A única desvantagem é que, para onde o carro for, a casa tem que ir junto. 
O que não ocorre com o camper, que é acoplado e pode ser removido quando se quer estacionar a casa e sair de carro.

Ainda existe carretas, como a mini-camper, que é bem pequena, extremamente leve e se transforma em uma grande barraca quando é desacoplado, ele é bom, porque você pode deixar tudo que se refere a tralha do acampamento dentro dele arrumado, quando chegar em casa é só desacoplar e esperar outro acampamento.

É bom examinar atentamente vários modelos de trailers, motorhomes e campers, antes de optar por um deles, além disso; fora os regulamentos obrigatórios; placa, sinalização, documentação, etc. 
Existe dezenas de casas sobre rodas, novos e usados à venda, a escolha é sua.

O Trailer - antes de viajar - manutenção

Um trailer exige tantos cuidados de manutenção quanto um carro e uma casa ao mesmo tempo. Mas, enquanto um automóvel zero km é vendido com um manual que contém informações gerais sobre seu uso, um plano de manutenção preventiva - com o trailer não acontece isso. Então o comprador do trailer é levado a crer que basta atrelar a nova casa ao carro e sair por aí, sem maiores preocupações. Mas não é bem assim, por isso mostramos os cuidados que se deve tomar com o uso de um trailer e as principais operações de manutenção que ele requer.
Quando fora de uso ele deve ter o conversor, as luzes internas e o cabo que liga a tomada desligados. Todas as extremidades dos fios elétricos ligados a parafusos devem ser periodicamente apertados e mantido o nível de água da bateria. Na garagem ou nas áreas de camping o trailer deve ficar calçado e com o freio de mão solto. Quando acampado, verifique sempre os ferros do toldo, principalmente em dias de muito vento. 
Obviamente, essa verificação geral tem de ser feita com antecedência suficiente para permitir a execução de qualquer reparo, garantindo uma viagem tranquila e férias sem aborrecimento.

1.Parte mecânica - Em um trailer a manutenção regular do chassi e seus componentes é tão importante quanto em um automóvel e deve ser feita em períodos preestabelecidos. As operações de manutenção consistem, basicamente, em lubrificação, regulagem e verificação do aperto de porcas e parafusos.
2.Lança ou Engate - O sistema de engate deve ser controlado a cada dois ou três meses. Verifique o aperto das porcas, aplique óleo fino penetrante no engate de acoplamento e mantenha a esfera do carro bem engraxada. Antes de qualquer viagem verifique o correto funcionamento do engate, abaixando e levantando-o duas ou três vezes (depois de ter engatado o trailer) para se certificar que está bem preso. Dada a importância desse mecanismo, mantenha-o sempre limpo e livre de ferrugem. Ao fazer a lubrificação da lança ou engate, convém examinar, também, o aperto das porcas e parafusos de fixação do sistema de engate do automóvel.
3.Freio de mão - Lubrifique o botão-trava aplicando óleo fino; engraxe a cremalheira, eixo e dente de engate. Verifique os parafusos de fixação. Essas operações devem se repetir a cada dois ou três meses.
4.Parte elétrica - Deve-se verificar o funcionamento de lâmpadas, soquetes, tomadas e interruptores. Inspecione também, cabos e fios externos, procurando eventuais cortes no encapamento do fio, principalmente nos pontos de contato com a carroceria ou chassi do trailer. Reparos na parte elétrica exigem algum conhecimento. Mas a substituição de um soquete ou tomada pode ser feita sem maiores problemas, bastando prestar atenção à posição dos fios, ao refazer a ligação. Cortes no encapamento dos fios devem ser cobertos com fita isolante.
Verifique, ainda, o funcionamento do conjunto transformador/carregador de bateria, a carga da bateria auxiliar e o estado de conservação do cabo de conexão com a rede externa.
5.Sinalização - Verifique a iluminação interna e leve lâmpadas e fusíveis de reserva. Antes de viajar, teste cuidadosamente as luzes de sinalização, luz de freio e pisca-pisca.
6.Pneus - Antes de viajar, calibre os pneus so trailer e faça uma boa inspeção visual nos flancos e na banda de rodagem, livrando os sulcos de pedrinhas. Os longos períodos de inatividade, sempre na mesma posição, e debaixo de sol forte, diminuem a vida útil dos pneus, cuja borracha tende a ressecar.

7.Caixa d'água - A fim de garantir a estabilidade do veículo, o reservatório de água deve estar vazio durante os deslocamentos. Para limpá-lo, abra o ladrão e deixe passar água corrente em abundância. Verifique o estado do bocal de enchimento da caixa d'água.
8.Bomba d'água - Geralmente é elétrica e blindada, com lâmpada piloto, e não requer manutenção. Observe seu perfeito funcionamento antes de viajar.
9.Dobradiças e fechaduras - O perfeito funcionamento de portas, janelas, mesas e clarabóia está intimamente ligado à eficiência de fechaduras, dobradiças e braços telescópicos. É importante verificar esses pontos, um por um, lubrificando as dobradiças mensalmente e substituindo as peças defeituosas. Para retirá-las, basta desapertar seus parafusos de fixação.
10.Braços telescópicos e fechos - Servem para manter janelas ou portas de armários abertas. Com o tempo, seus parafusos de fixação podem ficar frouxos. Aperte-os sempre que necessário. Examine, também, os parafusos de fixação dos fechos de pressão ou magnéticos que servem para impedir a abertura de portas de armários durante a viagem. Os fechos de pressão de plástico estão sujeitos a esforços e podem quebrar. Sua substituição é fácil: basta soltar os parafusos de fixação e trocar a peça estragada.

11.Portas de correr -  Limpe com uma escova as calhas inferiores por onde correm as portas, retirando resíduos que impedem um funcionamento suave e contínuo. Lubrifique as calhas com vela ou cera. Quando a porta correr sobre guia de plástico, verifique seu estado de conservação e substitua a guia se necessário.
12.Roda auxiliar - Lubrifique com óleo fino o eixo que liga o engate à roda piloto e engraxe a rosca interna. Para executar esta última operação, levante o trailer com os macacos anteriores e baixe completamente a roda auxiliar, virando a manivela até que a rosca interna apareça. Frequência desta manutenção: cada seis meses.
13.Rolamentos e freios de serviço - Verifique o ajuste e lubrifique os rolamentos das rodas com graxa para rolamento a cada 2 mil quilômetros. Ajuste as sapatas dos freios de serviço a cada 2 mil quilômetros e lubrifique o sistema a cada 1 500 km. No freio por inércia, verifique o funcionamento do amortecedor do sistema de acionamento a cada 2 mil km.
Caso o trailer permaneça parado por muito tempo, as operações de verificação e manutenção dos rolamentos e sistema de freios devem ser feitas a cada seis meses.
Durante a operação de lubrificação dos rolamentos pode-se controlar o desgaste das lonas de freio.
14.Macacos de nivelamento - Os macacos são lubrificados a cada cinco meses.

15.Circuito de gás - Fogão, aquecedor do banheiro e geladeira (esta também pode ser elétrica) funcionam a gás. O botijão fica do lado de fora, e o gás é conduzido por uma tubulação de cobre até o interior do trailer. As emendas são feitas com niples. A partir do botijão, aplique espuma de sabão em todas as emendas para detectar vazamentos. No fogão, geladeira e aquecedor de água do banheiro, os queimadores devem estar limpos e desobstruídos. A cada dois ou três meses, limpe a chaminé da geladeira com uma escova para retirar a fuligem. Durante essa operação cubra o queimador para evitar a entrada da sujeira.
16.Sanitário - Nos trailers modernos, o sanitário é portátil, de plástico rígido, formado por uma tampa, assento, vaso e caixa coletora. Os dejetos são dissolvidos por um produto químico que também elimina o odor. Depois de usar por 25 vezes, retire a caixa coletora e jogue o conteúdo em local apropriado no camping (latrina, caixa de esgoto, etc.). Antes de iniciar viagem certifique-se de seu perfeito funcionamento.
17.Água servida - Chuveiro, lavatório e pia da cozinha têm saída comum para a água servida. Verifique o estado do engate para a saída da água servida.
18.Móveis e assoalho - Para manter limpos os móveis de madeira, o assoalho e as paredes internas do trailer, use apenas pano úmido. O revestimento dos colchões (tecido misto de algodão e sintético) são lavados a seco.
19.Ventilação forçada - Os modernos reboques possuem ventilação forçada por meio de ventanas localizadas à altura das janelas, grades de ventilação para fogão, refrigerador e uma saída para gases que acidentalmente escapem da tubulação ou dos aparelhos. O gás é mais pesado que o ar e, na ocorrência de um vazamento, deve sair pelo suspiro situado na parte inferior da porta. Mantenha sempre limpas e desobstruídas as ventanas e grades de respiração.
20.Limpeza externa - A maioria dos trailers tem carroceria de alumínio anodizado pré-pintado e janelas de acrílico que podem ser lavadas com água e sabão neutro, como a carroceria dos automóveis. A caixa para o botijão de gás, de fibra de vidro, recebe o mesmo tratamento.
21.Vedação - Durante a lavagem do trailer observe se há inlfiltração de água. Inspecione as borrachas da porta, janelas e da clarabóia. Se estiverem ressequidas ou partidas podem permitir a entrada de água ou pó. Substitua-as.
Trailer-II-Campingnatural-450

Modelos - Motorhomes, campers e trailers

Motorhomes - Eles parecem ônibus ou caminhões fechados, e tem de tudo para tornar qualquer viagem confortável: camas, cozinha, banheiros e sofisticações como suíte de casal e Internet. São os motorhomes, casas motorizadas que você leva aonde quiser.
Como é possível viajar com toda a família e continuar desfrutando o conforto que só existe mesmo em casa? A solução é o motor-home, uma verdadeira casa sobre rodas, idéia que vem sendo cada vez mais adotada, principalmente por famílias que costumam fazer passeios de longa e média distâncias e que gostam de dispor de mobilidade imediata.
Campers - Uma variante são os campers, que, mesmo menos espaçosos e sofisticados, tem lá as suas vantagens: a "casa" não está fixada definitivamente à carroceria das picapes, pode ficar "estacionada" em qualquer terreno por dispor de "pés" de sustentação, o que libera o veículo em emergências, passeios curtos e para o dia-a-dia de transporte da família.
Trailers - Os trailers nacionais não diferem basicamente muito uns dos outros, salvo pelo tamanho e, em consequência, pelo conforto. Podem ser classificados em pequenos, médios e grandes e permitem acomodar de duas a dez pessoas.

Os motorhomes, campers  e trailers indicados aqui são apenas alguns modelos já consagrados, e que podem ser encontrados diretamente aos fabricantes, ou então comprados em revendedoras e ou diretamente com proprietários em anúncios autorizados no comércio.

Camper Ita 590 - Capacidade - até 9 pessoas. Instalações - cama de casal sobre a cabine, sofás, mesas, armários. Cozinha - armário, pia aço inox, fogão a gás, botijão 5 litros, geladeira. Banheiro - vaso sanitário, chuveiro a gás automático. Ficha técnica - instalado no chassi da caminhonete Chevrolet C-10.

Motothome Solimar - Capacidade - 6 ou mais pessoas. Instalações - cama casal sobre a cabine, quatro sofás, duas mesas, roupeiros. Cozinha - conjunto pia e fogão aço inox, armários suspensos, botijão gás (13 quilos), geladeira gás ou elétrica. Banheiro - lavatório fibra de vidro, vaso sanitário químico, chuveiro, box. Ficha técnica - instalado sobre chassi Ford F-350, F-400 ou Dodge D-400.

Motorhome Miramar - Capacidade - quatro pessoas ou mais. Instalações - cama casal sobre a cabine, dois sofás, mesa, armário, roupeiro, quatro armários suspensos. Cozinha - conjunto pia e fogão aço inox, balcão, prateleira, armário suspenso, botijão gás 13 quilos. Banheiro - lavatório fibra de vidro, sanitário químico, chuveiro, box monobloco, clarabóia. Ficha técnica - carroceria instalada sobre chassi Chevrolet C-15, Ford F-100 ou Toyota Diesel. Sua construção é do tipo monobloco.

Motorhome Karmann Mobil - Capacidade - quatro ou cinco pessoas. Instalações - sete armários, baús, prateleiras, duas camas solteiro, uma casal. Cozinha - pia, fogão e forno, geladeira a gás ou elétrica. Banheiro - chuveiro, pia e vaso sanitário químico. Ficha técnica - construído sobre chassi da Kombi Volkswagen.

Motorhome Kombi Caracol - Capacidade - quatro pessoas. Instalações - duas camas individuais cambiáveis para cama casal, cama-beliche suspensa, clarabóias reguláveis. Cozinha - pequeno compartimento para garrafas e fogão a gás. Banheiro - vaso sanitário químico, pia, chuveiro, luz interna. Ficha técnica - teto e contrateto fibra de vidro reforçado, aparafusado na carroceria, com vedações termoacústicas.

Motorhome Safari - Capacidade - quatro a seis pessoas. Instalações - sofás e mesas conversíveis em cama casal ou solteiro, cama sobre cabine, armários, baús. Cozinha - pia aço inox, fogão a gás com forno, refrigerador a gás ou eletricidade, armários. Banheiro - lavabo, vaso sanitário químico, ducha. Ficha técnica - montado sobre chassi Kombi especial.

Camper SL - Capacidade - quatro a cinco pessoas. Instalações - cama casal superior, sofá e mesa conversíveis em outra cama casal, armários, baús. Cozinha - conjunto pia inox e fogão a gás, armário, geladeira a gás e elétrica. Banheiro - lavatório com pia, chuveiro com aquecedor, vaso sanitário químico. Ficha técnica - adaptável às picapes C-10 e D-10, chassi longo e Ford F-2000 cabine normal.

Rubi - Capacidade - quatro pessoas. Instalações - quarto casal na dianteira e conjunto estofado casal na traseira, armários suspensos, baús. Cozinha - mesa aço inox, pia, fogão, armários, geladeira a gás ou eletricidade. Banheiro - lavatório fibra de vidro, vaso sanitário químico, box fibra de vidro com chuveiro. Ficha técnica - chassi com dois eixos, freio hidráulico, engate automático, suspensão com barras de torção e amortecedores. Carro rebocador - o trailer Rubi deve ser tracionado por veículos com cilindrada igual ou superior a  4 000 cc.

Brilhante Esporte - Capacidade - quatro pessoas. Instalações -  duas camas casal, quatro sofás, duas mesas, roupeiros, armários suspensos, baús. Cozinha - conjunto pia-fogão aço inox, balcão, prateleira, armário suspenso, geladeira a gás ou eletricidade. Banheiro - piso fibra de vidro, vaso sanitário químico, lavatório plástico moldado, chuveiro. Ficha técnica - chassi freio hidráulico inercial e amortecedor hidráulico, engate automático, suspensão com barras de torção de aço, amortecedores dupla ação. Carro rebocador - o trailer Brilhante Esporte deve ser tracionado por veículo com cilindrada igual ou superior a 2 500 cc.

Eldorado - Capacidade - três pessoas. Instalações - quatro sofás ou uma cama casal e uma solteiro, armários suspensos e quatro baús. Cozinha - conjunto pia e fogão aço inox, balcão com gavetas, prateleira, armário suspenso, geladeira a gás ou elétrica. Banheiro - piso fibra de vidro, vaso sanitário químico, lavatório plástico moldado, chuveiro. Ficha técnica - chassi com freio hidráulico inercial e amortecedor, engate automático, suspensão com barras de torção de aço e amortecedores dupla ação. Carro rebocador - o trailer  Eldorado deve ser tracionado por veículo de cilindrada igual ou superior a 1 500 cc.

Cisne - Capacidade - seis pessoas. Instalações - sala com mesa, sofá conversível em cama casal, barzinho, armários suspensos, clarabóia, guarda-roupas, baús, beliche duas pessoas. Cozinha - fogão com forno, pia aço inox, armários suspensos sob a pia, geladeira. Banheiro - vaso sanitário químico, pia e box em polietileno, ducha com aquecedor a gás, clarabóia. Ficha técnica - chassi em aço dobrado em U, suspensão com barra de torção e amortecedores, freio hidráulico a disco. Carro rebocador - deve ser tracionado por carro de cilindrada superior a 2 500 cc.

Brasil - Capacidade - seis pessoas. Instalações - sala com mesa e sofá conversível para cama casal, janelas escamoteáveis, guarda-roupas, armários suspensos, baús sob os sofás. Cozinha - fogão com forno, pia aço inox, ventilação, armários suspensos sob a pia, geladeira elétrica. Banheiro - vaso sanitário químico, pia e box em polietileno, armários, chuveiro tipo ducha, clarabóia. Ficha técnica - chassi em aço dobrável um U, suspensão com barra de torção e amortecedores, freio hidráulico a disco, neutralizador de peso e freio manual para estacionamento. Carro rebocador - deve ser tracionado por veículo com cilindrada igual ou superior a 2 500 cc.

Carretas

Um problema que preocupa os campistas, principalmente os que têm família, é o transporte de equipamentos. Essa preocupação torna-se ainda maior quando o seu carro é médio ou pequeno e o excesso de bagagem passa a ser um incômodo, tornando as viagens desconfortáveis e cansativas.
Para esses casos, as carretas produzidas especialmente para campistas podem ser uma boa saída. Atualmente existem no mercado vários tipos de carretas, cada uma oferecendo um equipamento especial. Algumas, por exemplo, trazem acopladas a própria barraca; há um tipo que se converte também num pequeno bote;  e existem as carretas que cumprem apenas o papel a que foram destinadas: o transporte da tralha de camping.
A regulamentação que disciplina o licenciamento de carretas é praticamente inexistente. O que existem são normas de âmbito restrito, como é o caso das regulamentações do Departamento Nacional de Estradas de Rodagem.
Em linhas gerais, a carreta deve portar iluminação na parte traseira (luzes de lanterna, de freio e pisca-pisca). E como sua altura geralmente não ultrapassa a da área de visibilidade do vidro traseiro não há necessidade de espelho retrovisor no lado direito.
Para os compradores de carreta, é bom verificar se a documentação atende à requisitos, fica claro, porém, não haver tanta burocracia.

Alguns conselhos para quem vai tracionar carreta:
1 - É mais fácil transportar um carreta que um trailer. No entanto, precisa-se ter mais cuidado nas manobras em marcha à ré. Deve-se manobrar em velocidade bem reduzida, pois o comportamento da carrreta, por ser leve, é bastante instável em ré.
2 - Ao distribuir a carga no interior da carreta deve-se dividi-la com equilíbrio em cima do eixo. Com isso evitam-se os golpes secos na suspensão no percurso em terrenos acidentados.
3 - Siga os conselhos do fabricante a respeito da calibragem dos pneus, adequando-a de acordo com o peso transportado.
4 - Antes de viajar, verifique se a parte elétrica da carreta está funcionando perfeitamente. Experimente as luzes de freio, de lanterna e do pisca-pisca, sem esquecer o pisca-alerta. Assim, podem-se evitar dissabores com a Polícia Rodoviária. A tomada elétrica instalada no carro, próximo do engate, costuma apresentar problemas de contato, devido ao pó que se acumula no local. Uma solução é passar um pouco de óleo spray nos dois plugs elétricos para eliminar a sujeira. E aproveite para lubrificar com o mesmo óleo o engate e a bola.
1 - Fapinha
Fabricada com fibra de vidro, a carreta Fapinha tem pára-choque de borracha, estepe próprio e engate com corrente de segurança. 

2 - Karmann Ghia RE-350
A carreta é adequada para o camping. É construída de chapa, com acabamento em pintura sintética. O chassi é zincado a fogo. Comprimento da caçamba: 1,10 m; largura: 1,40 m: altura total: 1,01 m; peso: 130 kg; carga útil: 350 kg.

3 - Karmann Ghia RE-1802-U
O reboque utilitário pode ser utilizado também para transporte de equipamentos de camping. Mas seu uso é mais versátil. Construído de mdeira à prova d'água, com chassi e ferragens zincadas a fogo. Comprimento da caçamba: 2,58 m;  comprimento total: 4,18 m; largura da caçamba: 1,10 m; altura total: 0,95 m; peso: 450 kg; carga útil: 1 800 kg.

4 - Carboat
O barco-carreta dobrável tem capacidade para quatro pessoas dentro d'água ou de 400 kg de carga no transporte em terra. Tem casco duplo e é quilhado; moldado em fibra de vidro; pode receber propulsão até 15 HP. Comprimento da caçamba: 1,20 x 1,30 x 0,80 m; comprimento do barco: 8,5 pés; peso da carreta: 80 kg; peso do barco: 55 kg.

5 - Campingcar
A carreta-barraca é construída em chapa galvanizada, com lona impermeável e plastificada na parte da barraca. A chapa é protegida contra a corrosão. Dentro da carreta, há espaço para levar acessórios de camping. Comprimento da carreta: 2,20 m; largura: 1,50 m; peso: 200 kg.

6 - Toni
A carreta rodoviária para camping é fabricada em fibra de vidro, com tampa do mesmo material. Comprimento da caçamba: 1,70 m; largura: 1,30 m; altura: 0,60 m; peso: 103 kg; carga útil: 400 kg.

7 - Camping Star
A carreta-barraca é feita de fibra de vidro (carroceria) e de lona impermeável (barraca). Entre os equipamentos que acompanham a barraca estão duas camas de casal, dois colchões de espuma, cortina divisória e sobretoldo. O avancê e a caixa para isopor e gás são opcionais. Comprimento: 2,05 m; largura: 1,50 m; altura: 1,00 m; peso: 160 kg.


Novidades / Mercado

Winnebago acaba de fazer uma - Dirtbag Sonho Van -
Construído sobre o chassi Ford Transit, Winnebago acaba de lançar um motorhome feito para campistas "van vida" em mente.

Mini Motorhome: Winnebago Paseo 
Winnebago vem com a sua Paseo , anunciada esta semana e está disponível em novembro. 
Ele vem com uma cozinha, banheiro, geradores e energia solar opcional no telhado.

Tudo em seu lugar: O interior compacto do Paseo - Para o upgrade montada de Ford Econolines ou uma Ford Transit, mas você terá que desembolsar muito para esta máquina off-grid. Isso inclui alto-falantes externos, um rack bicicletário e telhado opcional, para não mencionar os armários que empregam "extrusões de alumínio e iluminação de realce LED" para um design refinado no interior. Ele tem uma TV, em frente é a casa de banho com uma pia fold-down acima do vaso. A área dinette (dinner) está na porta traseira, e senta-se em uma plataforma elevada com baixo armazenamento. Você se move em torno de almofadas e converte a área de circulação em uma cama à noite. As portas duplas abrem na parte traseira para uma brisa. Um possível problema para o viajante desporto-centric: Todos os confortos embutidos reduzem o espaço utilizável para armazenamento. Esses problemas poderiam ser melhor resolvidos com uma compilação personalizada.
Paseo: Construído Em Ford Transit -


Trailer Timberleaf 

Rebocando um  grande trailer permite que você traga uma boa carga de conforto. O problema é, transportar um reboque que traz o seu próprio conjunto de problemas.
Também, a partir do tamanho de um motorhome que você está arrastando para os problemas mecânicos que podem surgir ao longo do caminho. Como tal, não estamos surpresos com a crescente popularidade do camper compacto como o Timberleaf Trailers.

Com um tamanho de base de 10,3 x 5 pés e um peso seco de 1.240 quilos, é pequeno e leve o suficiente para ser rebocado atrás de carros ainda menores, além de torná-lo mais fácil de manobrar em espaços apertados. E apesar do tamanho limitado, eles conseguem espremer uma boa carga de amenidades, garantindo que você desfrute de muito conforto.

O Timberleaf Trailer vem em forma de lágrima, com um exterior de alumínio anodizado que pode ser terminado em uma generosa seleção de cores. Abra a parte de trás para transformar-se uma cozinha totalmente funcional, que vem completo com uma pia, um dispensador de água, um refrigerador personalizado isolado, um fogão a gás, e muito espaço de armazenamento. No interior, a cabine totalmente isolada recebe um colchão, armários, cabeceiras, duas janelas ventiladas, duas portas com janelas, ventilador para manter o ar fresco e uma clarabóia.
Outras características básicas incluem um pacote de energia (bateria, tomadas e carregador), um tanque de armazenamento de 12 galões sob a cabine, uma escotilha traseira com dois adereços de gás hidráulico e um pneu de reposição de tamanho normal. Opções, é claro, vêm em abundância, para que você possa tornar esta coisa com grandes luxos se o seu orçamento der.

Um trailer significativo

À medida que os veículos overlanding ficam mais estranhos e capazes, segue-se que os reboques devem se empatar .
Muitos trailers vêm com "pacotes off-road", mas isso geralmente significa apenas uma suspensão atualizada e pneus burlier. 
A Conqueror dispara para algo um pouco mais matizado. Não só a suspensão é construída para o pior terreno, mas o modelo emblemático da marca, o 490 Extreme, está equipado para conforto e resistência em longas expedições.
Agora, 30 anos depois de começar a fazer reboques militares na África do Sul, a Conqueror planeja ter cinco varejistas na América do Norte até o final do ano. 
Você já pode comprar um na sua primeira loja nos EUA.

Conquistador 490 Extreme

O que torna este trailer especial? Ele usa suspensão independente, então as pedras e buracos não são problema. O backend da parte traseira deixa um amplo acúmulo através de barrancos ou valas.
O 490 pesa uma grande quantidade de 3.200 lbs. Vazio, e com a carga máxima é mais de duas toneladas. Mas isso realmente não se destina a rebocar com um veículo pequeno. Este é um grande brinquedo.

Desdobra um dossel lateral sobre a cozinha exterior e área de jantar. Concebivelmente, você poderia organizar algumas cadeiras e uma mesa de acampamento para jantar e ficar na sombra.
A instalação da cozinha inclui uma pia de aço inoxidável, um fogão de aço de duas placas e uma churrasqueira e uma geladeira / freezer.

Existem numerosos compartimentos de armazenamento de gabinete para mantimentos, louça e talheres. Cada compartimento possui um suporte de tela removível, para que você possa acessar tudo de dentro.
Há também um chuveiro desdobrável, fora de borda e até 37 galões de armazenamento de água. Ao contrário da maioria dos campistas que têm uma entrada, há portas de ambos os lados - mas nenhuma escotilha traseira.
No 490 dorme oficialmente quatro pessoas, mas você pode ser criativo. Há uma cama de tamanho grande e quase king size (79 "x 79") com uma parte dobrável que pode separá-lo em duas simples.
Há também fãs que mantêm uma pressão positiva dentro da cabine, impedindo que as poeiras externas entrem dentro.

Conquistador x Bruder

Se algum dos recursos se parece ou soa familiar, é porque existe uma marca de spin-off.
De acordo com David Bates na Conqueror North America em Ohio (o único retalhista americano dos reboques Conqueror), os reboques off-road Bruder da marca australiana são baseados em projetos Conqueror.
Toby e Dan Bosschieter, o duo do irmão que lançou Bruder, começaram como os únicos importadores de trailers Conqueror na Austrália. Mas eles começaram o negócio Bruder e espero começar a exportar para os EUA, como relatamos aqui.
Existem semelhanças entre os dois trailers, como cabines pressurizadas, nivelamento eletrônico do chassi, mas também há diferenças notáveis ​​- a grande escotilha traseira do Bruder, os duches duplos, por exemplo.

Talvez o mais notável, no entanto, é o preço. O EXP-6 da Bruder custa mais de US $ 80.000, enquanto o Conquistador modelo base vem em torno de metade disso: US $ 43.000.E é claro, vale a pena notar que a Conqueror já tem uma loja nos EUA e planeja quatro mais por ano. E quem sabe um desses anos possa aparecer por essas bandas daqui.
A Bruder atualmente tem uma lista de espera de nove meses para embarques para a América do Norte.


Espaço recordação

Em 1961 - a família unida, alegre, sem muitos recursos, mas com a vontade de liberdade e fazer um bom lazer, seja lá o lugar que for. Será que existe alguma diferença muito grande para os dias de hoje?

Evolução pelo tempo

Em 1972 a Turiscar lança um trailer para seis pessoas (o trailer da família), fabricado sob encomenda, para ser adaptado a pickup Chevrolet C-1504, que em breve também para C-14, Ford F-100 e F-75 e o Dodge.
O comprimento do novo Camper é de 4,80 m, largura  2,10 m. O acabamento externo é de alumínio e o interno de compensado de madeira. O Camper tem cama casal, acima da cabina; mesa que se transforma em cama; outra cama formada em conjunto com a mesa e os sofás laterais.

O "novo" trailer tem ainda quatro amplos armários, gavetas, cozinha com fogareiro a gás de duas bocas, compartimento para dois bujões 5 kg, pia de aço inox e geladeira a gás. Seu banheiro tem chuveiro, pia, WC químico (que desodoriza e esteriliza), espelho e água também sob pressão.

A caixa d'água tem capacidade para 80 litros. Há iluminação no banheiro, salão, e a ventilação é feita através de quatro amplas janelas, onde há tela contra mosquitos, e de duas clarabóias sobre o salão e o banheiro. A partir de 1981 ele se modificou, mas não tanto assim.
O trailer Camper, pode ser usado para outras finalidades, pois é removido com quatro macacos que lhe são adaptados especialmente.

Viajando

Casal adapta Kombi e inicia viagem por vários países da América do Sul

Maíra e Munõz saíram de Brasília em abril e passaram pelo PI essa semana.
O casal Maíra Gussi, 25 anos, e José Muñoz, 36, esbanja determinação e espirito aventureiro. Em uma Kombi toda equipada com parte da mobília de uma casa, eles pretendem conhecer a América Latina viajando dentro da Kombi a qual chamam carinhosamente de ‘Valentina’.
Maíra e José começaram a viagem em abril deste ano. Saindo de Brasília, eles já passaram pelo Tocantins, Maranhão e fizeram uma parada nessa semana para conhecer Teresina, no Parque Potycabana, Zona Leste da capital.

Formada em Serviço Social, ele engenheiro de telecomunicações e licenciado em comunicação visual, o casal se conheceu no México com algo em comum: viajar pelo mundo, conhecer novos lugares e novas culturas, e a paixão por Kombis. Há dois anos com Valentina, eles têm preparado a “perua” para fazer a grande e tão sonhada viagem pela América Latina.
Na primeira viagem teste no veículo, José Muñoz e amigos passaram pela Chapada da Diamantina, Salvador na Bahia, e desceram até o Rio de Janeiro, voltando posteriormente para Brasília. Foi então que escolheram um nome para o veículo, que também é a casa deles.
Maíra e José começaram a viagem em abril deste ano. Saindo de Brasília, eles já passaram pelo Tocantins, Maranhão e fizeram uma parada nessa semana para conhecer Teresina, no Parque Potycabana, Zona Leste da capital.

Maíra e Muñoz passaram dois anos preparando a kombi para a viagem.
“Ela tem que ser valente para aguentar as viagens que nós precisamos fazer. Na verdade o nome também foi como escolher para um filho. Cada um foi dando uma sugestão até chegar ao nome de Valentina. Olhamos um para o outro e gostamos”, contou ele.
Para eles, o veículo tem aguentado sol e chuva, estradas de areia e asfalto ruim. Contam ainda que ela vai ser forte para descer todo o litoral brasileiro até chegar aos países sul-americanos, como Uruguai, Argentina, Chile, Peru, finalizando no Equador, quando voltam para Brasília e encerram a viagem cuja duração deve ser pouco mais de três anos.
“A gente nunca vai saber o que nos espera no próximo lugar. É sempre uma surpresa para a gente. Nós chegamos nas cidades, conversamos com as pessoas, nos instalamos em praças públicas. As pessoas estranham, outras recebem com muita alegria. A ideia mesmo é desbravar, chegar, passar uns dias e ter a possibilidade de conhecer”, contou Maíra.
Questionados sobre o que mais gostaram até agora na viagem, disseram: “Difícil marcar uma coisa. Até porque cada um tem sua particularidade, sua beleza, seu jeito de ser. É enxergar a beleza de cada um como ele é”, disse Muñoz

A Valentina

A Valentina foi pintada de cor verde que simboliza a natureza, possui uma marca autoral desenhada por um amigo e é toda mobiliada simulando um mine trailer. Com cama que vira cadeira-sofá, iluminação adaptada, tomadas elétricas, uma pia, caixa d’água e armário para guardar as coisas. A única atividade financeira é o artesanato.
“A nossa referência de casa é a Valentina”, disse Maíra. “Se você olhar por dentro ela é toda mobiliada, tem a estrutura que nós precisamos, pia, luz, água. Foram entre um a dois anos construindo e preparando a Kombi para a nossa viagem. E a família toda ajudou”, contou Muñoz.
No Piauí, eles destacaram a receptividade e o carinho das pessoas. Além disso, se encantaram com o Parque Nacional da Serra da Capivara e contaram querer conhecer ainda o Parque Nacional de Sete Cidades.

Galeria de Kombis

Estas são algumas fotos de Kombi VW para você curtir, e ter uma idéia do que as pessoas fazem com elas para camping e lazer. São de vários anos de fabricação e em situações diferentes.
É uma pena que esse carrinho saiu de linha (eu acho), não sei se ainda existe algum país que fabrica.
Atenção: Camping Natural abriu uma "exceção" neste espaço. Se você tem Kombi (qualquer ano e transformada) e quer ver a foto dele aqui, envie uma foto. Aproveite que é por pouco tempo!
A foto tem que ter tamanho mínimo 600x400 pixels, de preferência arquivo JPG, GIJ ou PNG. 
Para enviar: Página do Facebook - www.facebook.com/sitecampingnatural ou
E-mail - lunavalter@yahoo.com.br
OBS: foto "nítida e somente do carro" será analisada pelos administradores.










Atenção: O blog Camping Natural não se responsabiliza por alterações realizadas pelos regulamentos impostos, em relação a exigências da legislação do Código Nacional de Trânsito Brasileiro, após o fechamento desta postagem.

7 comentários:

  1. Beleza e úteis informações deste post.Parabéns.

    ResponderExcluir
  2. Respostas
    1. Boa tarde, Raquel.
      Que prazer atendê-la aqui no blog. Seja bem vinda.
      Muito obrigado pelo elogio.
      Aguardo mais à sua visita.
      Abraços.

      Excluir
  3. ola estou com dificuldades para encontrar areas de camping para motorhome, vocês indicam alguns?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde, Ritinha.
      É um prazer atendê-la por aqui. Seja bem-vinda.
      Infelizmente é muita dificuldade mesmo. Se você leu toda a postagem, vai tirar suas conclusões que é até difícil de encontrar áreas para trailers, imagina para motorhomes.
      Veja algumas postagens dos lugares (cidades) que você procura, pode ser que encontre alguns.
      Boa sorte pra você.
      Aguardamos à sua visita.
      Abraços,

      Excluir
  4. Estou vendendo um trailer Karmann Ghia KC330. Se alguém tiver interesse entre em contato pelo email: pelickano@hotmail.com


    ResponderExcluir