caping2

As plantas que curam

A Fitoterapia

Método de tratamento de doenças através das plantas medicinais, a fitoterapia é a forma mais antiga e fundamental de medicina da Terra.
A fitoterapia, diferentemente dos remédios alopáticos tão utilizados pela nossa "moderna" medicina, é uma terapia que visa curar os males profunda e integralmente, de maneira não-agressiva, buscando estimular as defesas naturais do organismo.
Em se tratando de camping selvagem, é muito fácil encontrar plantas e ervas no meio natural, mas é claro que você precisa ter o mínimo de conhecimento delas, e saber o significado e uso das mesmas.
Então darei aqui as ervas mais facilmente e popularmente encontradas em nossa região, principalmente em campings selvagens, e os devidos cuidados para com elas:


Cuidados ao adquirir ervas medicinais

Se você não conhece ervas, procure adquirí-las com pessoas de sua confiança, pois colhê-las a esmo pode ser prejudicial a sua saúde.
As ervas podem ter o mesmo nome, e uma mesma erva chega a ter de três a quatro nomes diferentes de acordo com cada região.
mãe-natura
Aconselhamos àqueles que não sabem identificá-las a procurar ajuda com um fitoterapeuta ou uma pessoa gabaritada que você sabe que entende.
Somente o cuidado em adquirir ervas garante um tratamento eficaz e seguro. Inclusive porque existe uma série de precauções que devem ser tomadas.
Por exemplo:
Seu colhimento deve ser antes do raiar do sol, quando chove vários dias consecutivos não se deve colher a planta para uso.
Existe alguns colhedores que esperam até a lua certa para que a coleta seja perfeita! e a planta venha com todos os seus princípios, a fim de propiciar um bom tratamento.
A eficiência das ervas é comprovada por todos os cientistas, de sorte que a maioria dos remédios é fabricada a partir do que é oferecido pela natureza.
Usualmente, utilizamos as ervas no seu estado natural (principalmente em um camping selvagem), mas em casas especializadas elas podem ser adquiridas sob forma de comprimidos, tintura..

Ervas - Três maneiras de preparo:

Em formas de compressas - As compressas devem ser feitas com uma única erva, salvo indicação expressa; socando  bem antes de colocá-la no local para que o sumo faça efeito rapidamente.
Em formas de chá - Os chás, salvo indicação; também devem ser feitos com uma única erva que é levada ao fogo com água fervida e, após seu resfriamento ingerida.
Em forma de xaropes - A diferença do chá para o xarope está na durabilidade, pois desta forma a erva é acondicionada para uso posterior e dura muito tempo. Neste caso a erva não é levada ao fogo, é  apenas deixada em água filtrada, em uma vasilha hermeticamente fechada, e após vários dias poderá ser ingerida normalmente.


Preparos do Chá

Extraído das plantas pode ser obtido de diversas maneiras:
Chá tradicional (Tisana) - Em água fervente; acrescente a erva, tampe e deixe ferver por mais 2 minutos, após apague o fogo, deixe o recipiente tampado, coe e está pronto.
Infusão - Coloque a erva em uma vasilha e despeje a água fervente sobre ela. Deixe repousar bem tampada, por 10 minutos (período durante o qual serão extraídas as substâncias medicamentosas), sendo que, se for utilizar talos e raízes devem ficar repousando por trinta minutos. Excelente para flores, pétalas e folhas.
Decocção - A planta é colocada de molho, em água fria, por algumas horas. Depois é levada ao fogo, para ser fervida por algum tempo (entre 10 e 20 minutos) em recipiente fechado. Tire do fogo e deixe repousando, tampado por mais algum tempo, coe e está pronto para o uso.
Maceração - Deixe as ervas de molho em água fria de 10 a 24 horas. Decorrido esse tempo, coe e está pronto para o uso. Este método é o mais indicado para conservar os sais minerais e vitaminas da erva.
fitoterapia-2

Dosagens 

Embora possa variar muito, as dosagens das ervas a serem utilizadas pode-se basear nas medidas abaixo:
- Folhas secas - 2 a 3 colheres de sopa por litro de água.
- Folhas verdes - 4 a 6 colheres de sopa por litro de água.
- Raízes e cascas - dependerá especialmente da quantidade da erva.
Estas dosagens são para folhas frescas (verdes), pois para as secas usa-se a metade (10 gramas). Para facilitar o compreendimento, em medida caseira, uma colher de sopa de folhas verdes equivale a 5 gramas.
O chá deve ser preparado em partes: somente folhas e flores  ou somente raízes e caules. Isto porque, se misturar folhas com raízes, as folhas ficarão prontas antes das raízes. Caules e raízes são partes mais duras, por isso requerem um maior tempo de cozimento.
Os chás devem ser tomados puros ou adoçados com mel puro, longe das refeições e várias vezes ao dia.
Para crianças, salvo recomendação médica em contrário, a dose não deve exceder a 3 colheres de sopa ao dia. Uma boa medida é tentar substituir o café e o chocolate por um chazinho de erva-cidreira, hortelã ou camomila.
fitoterapia-1

Aplicações das ervas:

Sumos

Podem ser obtidos de três formas básicas:
Espremendo-se as folhas das ervas através de um tecido fino de algodão.
Batendo-as no liquidificador.
Amassando-as num pilão.

Saladas

Tomando-se extremo cuidado no tocante à qualidade e limpeza das ervas, estas também podem ser comidas cruas em forma de saladas ou preparadas junto com outros alimentos, na forma de temperos.
Antes de usá-las, porém, lave-as bem em água corrente e depois deixe-as de molho por algum tempo em água, sal marinho e vinagre, ou em uma solução antibacteriana.

Cataplasmas

Quando indicadas, as ervas frescas podem ser aplicadas soltas, diretamente sobre a pele, ou ainda sustentadas por uma gaze. Também podem ser esmagadas até ficarem em forma de pasta, e então colocadas entre dois panos finos ou gaze, para então ser aplicadas sobre a área afetada.
Indicados nos trato de nevralgias, dores de ouvido, asma, etc.

Compressas

Em uma decocção, forte concentrada, podem ser mergulhados panos limpos, os quais, após retirado o excesso de líquido, são aplicados na região afetada.
Chás quentes atuam como sedativos quando aplicados sobre inchaços, nevralgias, contusões, gota, etc.

Gargarejos

Um chá preparado por decocção pode ser usado para se gargarejar algumas vezes ao dia, atuando como tratamento para a cavidade bucal e garganta.

Inalações

Prepare um chá forte de ervas, retire-o do fogo, coloque um funil de papelão invertido sobre o recipiente, cubra a cabeça com um pano e respire o ar evaporado.
Excelente no tratamento de gripes, sinusites, resfriados, pneumonias, etc.

Lavagens

Os chás também podem ser usados, em distúrbios digestivos, para lavagens intestinais. No caso de corrimentos também podem ser realizadas lavagens vaginais.

Tinturas

É a maceração das plantas a frio, em álcool a 60º ou a 70º. Utilize um recipiente com tampa hermética, neste, coloque a quantidade determinada da erva, acrescente o álcool e tampe.
Agite o preparado duas vezes ao dia, durante duas semanas, após coe e guarde a tintura em um frasco escuro; mantendo-o bem fechado, pode-se ter uma vida útil do preparado por até dois anos!

Unguentos

Preparados misturando-se ervas com uma substância gordurosa (vaselina, lanolina, gordura vegetal de coco ou manteiga fresca), para uso externo, ao contrário das pomadas. Protegem as feridas, inflamações, tratamento de hemorroidas ou quando se precisa de hidratação, as ervas mais usadas são arruda, alecrim, oliva, dente-de-leão, etc.
fitoterapia-5

Observações Importantes:

1 - Os chás, quando preparados para fins externos, podem ser mais concentrados.
2 - Não existe hora indicada para o consumo do chá, todavia, se pretende combater um mal crônico, é óbvio que quanto maior forem as doses administradas, melhor será o resultado.  Preferencialmente devem ser tomados pela manhã , em jejum, quando o organismo absorve melhor todos os seus componentes nutritivos; à noite ao deitar-se ou, também, pequenos goles, de hora em hora.
3 - O material recomendado para preparar chás e sucos é o esmaltado, louça, barro, vidro, e colher de pau. Materiais de metal comprometem o teor no sabor e os efeitos do chá.
4 - O chá deve ser tomado puro, em sua composição natural, mas se preferir adoçá-lo faça com o mel, que também possui um alto valor alimentício.
5 - Chás não devem ser guardados. Seu consumo deve ser feito em 24 horas, por isso prepare pequenas quantidades diariamente. Portanto nunca use um chá com mais de um dia de preparo!

Cuidado! 

O uso contínuo do chá não deve ser tomado por mais de 30 dias consecutivos; isso leva seu organismo a responder cada vez menos a ele, e isso diminui o efeito curativo e ainda pode causar complicações a sua saúde.
"A carqueja, por exemplo, muito usada pelos que querem emagrecer, é uma planta muito boa, porém quando usada constantemente pode levar a anemia!"


As Plantas e Ervas Mas comumente entre nós:

Abacate (Persea Americana)

As folhas e o caroço combate as diarreias, disenterias e doenças da vias respiratórias.
É diurético, elimina cálculos renais e do fígado, combate a artrite, gota, reumatismo e gases intestinais. 
Além do seu valor nutritivo é amplamente utilizado para o tratamento de várias doenças, tais como hipertensão, dor de estômago, bronquite, diarreia, e diabetes. Pesquisas tem evidenciado que seu extrato aquoso tem atividade analgésica e anti-inflamatória comparável ao ácido acetilsalicílico.
Seu chá deve ser feito com folhas secas, pois as verdes aumentam as palpitações cardíacas.
O caroço ralado, colocado no álcool serve para fazer fricções contra o reumatismo.

Abóbora (Cucurbita Pepo)

Ou Jerimum, o suco extraído das flores é bom para o estômago (estomáquico), sendo também usado, externamente, para dor de ouvido.
As folhas e flores pisadas (amassadas, espremidas, socadas - até virar uma pasta) são usadas em fricções para tratar a erisipela, uma inflamação aguda da pele que provoca seu enrubescimento.
As sementes são vermífugas (contra vermes), mas de efeito lento. 
Usar as sementes trituradas em forma de sucos contra a febre e inflamações das vias urinárias (fazer sucos com as sementes moídas).
A polpa da abóbora, cozida, atua como emoliente (que alivia as dores de uma superfície interna e irritada). 
E pode ser usado também como "esfoliante estomacal" que pode ser beneficiado como uma laxante.
O pó de suas sementes é antiparasitário, por isso se revelou um excelente remédio para tratar a Teníase. O chá é feito com as sementes torradas e moídas da abóbora, na proporção de 15 a 60g do pó para um litro de água, em decocção. Doses excessivas podem atacar o fígado.

Açafrão-da-terra (Curcuma longa)

O açafrão é uma planta da família do gengibre, originária da Ásia. Sua utilização mais comum é na forma de tempero, especiaria. Pode ser chamado também de açafrão, cúrcuma, açafrão da Índia e gengibre amarelo.
O açafrão ou cúrcuma (como também é bastante conhecido) possui um grande número de compostos com ações benéficas ao organismo, porém é a curcumina, um flavonoide, seu principal componente. A curcumina é a responsável pela ação anti-inflamatória, antioxidante, antidiabética, antitumoral, antiviral, antibacteriana e antifúngica.
Devido à presença de seus compostos, o açafrão tem papel de aumentar o fator neurotrófico, que é responsável pela multiplicação de neurônios e formação de novas ligações e sinapses entre eles, melhorando, assim, a função cerebral e reduzindo os riscos de doenças como o Alzheimer.
Sua potente ação antioxidante, que combate o excesso de radicais livres, causadores do chamado estresse oxidativo (que, por sua vez, está associado às doenças cardiovasculares). Além disso, o açafrão tem atuação na redução do LDL (colesterol ruim)”.
O açafrão contém um flavonoide, a curcumina, que possui ações anti-inflamatória, antioxidante, antidiabética, antitumoral, antiviral, antibacteriana e antifúngica.
Tais propriedades fazem com que o açafrão atue na prevenção, não só do câncer, da doença de Alzheimer e de doenças cardiovasculares, mas também: de artrite, alergias, gastrites e diabetes.
Recomenda-se preparar o chá em decocção utilizando 9g da planta para um litro de água.
Doses excessivas podem provocar delírio, sonolência e confusão mental.

Agrião (Lepidium sativum)

Agrião-da-índia, mastruço; usado "cru" em saladas, ele age contra o raquitismo, afecção de pele e pulmões, no tratamento da tosse, ou da anorexia, limpa  o sangue e os cálculos dos rins e fígado. Obs: as gestantes devem tomar cuidado, pois em demasia é abortivo.

Alecrim (Rosamarinus Officinalis)

Bom para tratar a digestão lenta e gases, é regulador das funções hepáticas, especialmente pós-hepatite; regulador menstrual; tônico para fadiga e anemia.
Aplicando-se o óleo, em fricções locais, resolve dores de artrite e artrose. Recomenda-se fazer um chá com 10g das folhas para um litro d`água em  infusão. Trata-se de um excelente remédio, contudo é contra-indicado para diabéticos e hipertensos, além disso, doses excessivas causam gastrite, náuseas, vômitos e nefrite.

Alho (Allium Sativum)

Rico em vitaminas A, B e C, possui ação bactericida, expectorante e vasodilatador, além de ser um antiagregante plaquetário, ou seja, desagrega as plaquetas de gordura reduzindo o colesterol e os triglicerídeos.
É indicado no caso de resfriados, gripes, bronquites, trombose e arteriosclerose, evita a congestão, ajuda a baixar a pressão, combate os vermes, diabetes, areia e pedras da bexiga, e bom desinfetante.
Também se atribui ao alho a capacidade de prevenir resfriados e outras doenças infecciosas, além de ser um anti-cancerígeno.
Uma pesquisa in vivo feita recentemente pela Universidade de Brasília e pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária de Hortaliças (Embrapa Hortaliças), em 2010, mostra que o alho pode contribuir para a redução do infarto agudo do miocárdio.
Porém é contra-indicado para as mamães que estão amamentando.
Faça um chá, ou o caroço cru no pão; já em mistura com azeite alivia dores do ouvido.
O chá deve ser feito com 1 a 3 dentes de alho para uma xícara de água fervente em infusão.

Ameixa  (Prunus domestica)

Também conhecida como Ameixa de Verão, tanto as frutas como as folhas são indicadas como laxante, comer bastante é útil nos resfriados, bronquites e asma.
Seu poder laxativo resolve hemorroidas, desinflama o fígado, intestinos, bem como todos os problemas de gordura retido no organismo, como colesterol, triglicerídeos, visto que ela ajuda a eliminar a gordura pelas fezes.
Graças ao seu conteúdo em fibra (especialmente pectina), carboidratos, magnésio, sódio e potássio, a ameixa é laxativa.
É rica em fósforo; pura ou em chá, resolve todos os problemas relacionados a prisão de ventre.

Amora (Rubus fruticosus) amora comum

Uma das espécies mais comum é a amora preta, que é arredondada, inicialmente vermelha e depois preta, quando bem madura.
Por ser uma fruta rica em cálcio, a amora é muito eficaz no combate a osteoporose. As folhas da amoreira são usadas para fazer chá, muito útil no tratamento de diarréias. O suco combate inflamações da boca e garganta. Também com o uso do chá de amora, pode-se reduzir os níveis de açúcar no sangue, o que é muito bom para diabéticos e afecções nos rins.

Babosa (Aloé Vera)

Com a Babosa se combate o câncer, bronquite, reumatismo e regula os intestinos, e também problemas no estômago, fígado e icterícia; resolve tumores.
Excelente para curar feridas ou cortes, úlceras, doenças da pele, pólipos, queimaduras e erisipela.
Pegue a folha, lave, tire os espinhos, triture no liquidificador, coe, misture com mel e tome; esmagadas no álcool ou cozidas, combate a caspa, queda do cabelo, embeleza o cabelo e fortalece o couro cabeludo; misturado em solução fraca de Aloés com água, serve para lavar feridas e olhos.

Boldo (Plectranthus barbatus)

Ou boldo-da-terra, traz melhoras especialmente para o fígado. 
Ajuda a funcionar melhor, é bom também para quem tem hepatite ou problemas assíduos ligados ao fígado, como, suores frios, dor de cabeça, e mal estar.
O chá feito com o sumo de suas folhas combate prisão de ventre, gases intestinais e provocam o sono, além de curar ressaca de bebida é protetor do fígado.

Boldo do Chile (Peumus boldus)

É comumente confundido com o Boldo da Terra.
Remédio para o fígado, hepatite, prisão de ventre, fraqueza orgânica, etc.
Ajuda o fígado a trabalhar melhor, e é ótimo para quem tem problemas freqüentes ligados a ele, como dor de cabeça, suores frios e mal estar. 
Tomado antes das refeições ajuda na digestão e nas funções do aparelho digestivo. 
É ótimo para quem tem intestino preso e ajuda a digerir gorduras. 
Este medicamento não deve ser usado por pessoas que têm problemas inflamatórios nas vias biliares e no pâncreas, cálculos biliares e hepatite. O seu uso é contra indicado nos casos de gestação também, pois o boldo pode gerar problemas na formação do bebê, principalmente nos primeiros três meses.

Camomila (Matricaria recutita)

Indicada contra as indigestões, gases, doenças do estomago, falta de apetite, cólicas e doenças do útero e dos ovários, cólica uterina, sedativa (infusão flores ou chá da flor de camomila); para queimaduras de sol (ajuda a refrescar a pele e evita o vermelhidão da pele), conjuntivite e olhos cansados (compressas com infusão do preparado das flores). Tosse e garganta inflamada.
Para criança ajuda combater vermes. Como chá usado diáriamente diminui as dores musculares, tensão menstrual, stress e insônia, diarréia, inflamações das vias urinárias; misturado ao chá de hortelã com mel combate gripes e resfriados; banho com sachê de camomila é sedativo e restaurador de forças, e especial para hemorroidas.

Capim Limão (Cymbopogon Citratus)

Também conhecido por Capim Santo ou Capim Cidreira, é fungicida, bactericída e antibiótico. 
É uma planta usada em medicina popular, sendo, para esse efeito, utilizadas as folhas que, em infusão, têm propriedades febrífugas, sudoríficas, analgésicas, calmantes, anti-depressivas, diuréticas e expectorantes, além de ser bactericida, hepatoprotectora, antiespasmódica, estimulante da circulação periférica e estimulante estomacal.
É calmante para ansiedade e insônia, expectorante e estimulante do apetite nos casos de anorexia ou dores abdominais.
O chá deve ser feito de 3 a 6g da planta para uma xícara de água em infusão, uma a duas vezes ao dia. Contudo, é contra-indicado em casos de úlcera péptica e pode ainda provocar azia em pessoas sensíveis.

Cravo (Syzygium aromaticum)

Ou Cravo-da-índia, seus efeitos medicinais compreendem o tratamento de náuseas, flatulências, indigestão, diarreia, tem propriedades bactericidas, e é também usado com anestésico e antisséptico para o alívio de dores de dente, melhora o mau hálito, e contra o bafo de cachaça é excelente.
.O chá é feito com a proporção de 1,5g de cravo para cada xícara de água. Coloque a água em um recipiente e leve ao fogo. 
Quando alcançar fervura, adicione o cravo e desligue o fogo. Deixe descansar por aproximadamente dez minutos, coe e consuma. O indicado é consumir no máximo três xícaras ao dia.
O consumo é contraindicado para mulheres gestantes ou em fase de lactação, além de crianças menores de seis anos e pacientes com problemas gastrointestinais e doenças neurológicas. 
O cravo pode ocasionar irritação na mucosa da boca e o uso excessivo do óleo pode causar irritação na pele.

Dente-de-Leão (Taraxacum Officinale)

Depurativo sanguíneo, resolve infecções cutâneas sérias como furunculoses; protege o fígado contra a hepatite, icterícia, litíase biliar e cirrose; combate diarréias agudas, cistites e infecções urinárias. 
Utilize 30g da planta para um litro de água, em infusão. É contra-indicado para portadores do câncer, para quem sofre de refluxo e em casos de diarréia crônica. Pode provocar azia, alergia e diarréia em pessoas sensíveis a seus compostos.

Erva-cidreira(1) (Melissa officinalis)

É uma planta perene herbácea da família da menta e da hortelã e do boldo. O seu sabor e aroma característicos, frutado, de limão, principalmente nas folhas, deriva do seu óleo essencial.
As folhas são maiores e mais claras que as da hortelã, ovadas a romboidais ou oblongas e com a margem crenada.
É uma planta muito utilizada na medicina tradicional, como erva aromática e em aromaterapia. 
É utilizada como antiespasmódica, antinevrálgica e como calmante. Acredita-se que ajude a conciliar o sono.
A Melissa officinalis é largamente confundida com a popularmente chamada erva cidreira de folha (Lippia alba), que possui flores lilases e amareladas em logos galhos quebradiços, mas que não possui as mesmas propriedades medicinais que a Melissa officinalis.

Erva Cidreira(2) (Lippia Alba)

Anti-depressiva, anti-espasmódica e reguladora das funções digestivas.
Indicado para tratar cólicas, flatulência, digestão lenta e distensão abdominal; é calmante para ansiedade e insônia. 
Prepare 6g da planta em infusão para uma xícara de água. 
É contra-indicada para quem tem gastrite ou úlcera péptica. 
Doses excessivas podem provocar queda de pressão, Braquicardia (diminuição do rítmo cardíaco) e irritação gástrica.

Erva Doce (Foeniculum Vulgare)

Também conhecida como Anis. Indicada para tratar cólicas abdominais e menstruais; digestão lenta e gosto amargo na boca, diarréias e anorexia. 
Prepare o chá em infusão, com 9g da planta para uma xícara de água. Pode provocar excitação, insônia, delírios, confusão mental e convulsões em doses altas. É contra-indicado nos casos de menstruação excessiva.

Eucalipto (Eucalyptus Globulus)

É expectorante; estimula e fluidifica a secreção brônquica, alivia a tosse com muco, sinusite e bronquite. É diurético para infecção urinária e funciona como sudorífico em gripes e resfriados.
Rico em substâncias antissépticas, anti-inflamatórias e antiespasmódicas, a planta auxilia no tratamento de doenças no sistema respiratório, elimina dores reumáticas e musculares, combate infecções do trato urinário e trata inflamações na garganta.
Recomenda-se 12g da planta para um litro de água, em infusão ou decocção. Cuidado; pode causar queimação epigástrica em pessoas sensíveis.
É contra-indicado para quem tem gastrites, úlceras e cistite; doses excessivas podem provocar náuseas, vômitos, taquicardia, delírio, convulsões, cisnoses e até mesmo levar a morte!
Para preparar o chá, colha as folhas frescas ou compre pacotes com elas desidratadas. Coloque uma colher de sopa em uma xícara. Ferva água e adicione as folhas. Abafe por 10 minutos, coe em um pano de prato limpo ou peneira fina e tome morno três vezes ao dia – antes do café da manhã, no almoço e antes de dormir.

Gengibre (Zingiber officinale)

Outro nome conhecido no norte do Brasil, principalmente pelos indígenas é Mangarataia ou mangaratiá.
Como planta medicinal o gengibre é uma das mais antigas e populares do mundo. É utilizado na fabricação de xaropes para combater a dor de garganta e a perda de apetite, é  excitante e digestivo, combate cólicas, gases, gripes, tosses e bronquite, de suas raízes é feito o "quentão" das festas de São João.
Popularmente, o chá de gengibre, feito com pedaços do rizoma fresco fervido em água, é usado no tratamento contra gripes, tosse, resfriado e até ressaca.
Banhos e compressas quentes de gengibre são indicados para aliviar os sintomas de gota, artrite, dores de cabeça e na coluna, além de diminuir a congestão nasal, cólicas menstruais e previne o câncer (cancro) de intestino e ovário.

Goiaba (Psidium guajava)

Corta a diarréia, é indicada contra tosses e bronquite, e contrai varizes. 
O chá, em bochechos e gargarejos, é usado para inflamações da boca e da garganta ou em lavagens de úlceras e na leucorréia. 
O extrato aquoso do "olho" (broto) da goiabeira tem intensa atividade contra salmonela, serratia e staphylococcus, grandes responsáveis pela diarreias de origem microbiana.

Hortelã (Mentha spicata)

Também conhecida como hortelã-verde, é estimulante, tônico indicado contra prisão de ventre, vermes e reumatismo, usado também como calmante; seu bagaço limpa feridas; o chá produz alívio imediato em caso de menstruação dolorosa; o sumo embebido em algodão acalma dores de dente.
De entre as inúmeras virtudes citadas, podem destacar-se: estimulante, estomacal, carminativo. Usado nas atonias digestivas, flatulências, dispepsias nervosas, empregado nas palpitações e tremores nervosos, vômitos, cólicas uterinas, útil nos catarros brônquicos facilitando a expectoração. O chá feito de hortelã é um ótimo calmante.

Laranja da Terra (Citrus Aurantius)

Ou Laranja Azeda, Laranja Amarga, é rica em flavonóde e vitamina C, possui ação anti-inflamatória, analgésica, diurética, anti-espasmódica e hepatoprotetora.
O chá das folhas na proporção de 2 a 8g ao dia é indicado para tratar gripes, resfriados, dispepsias e flatulência. O chá com a casca do fruto é excelente tônico digestivo e bom para bronquites.

Limão (Citrus Limonum)

Rico em vitamina C, recomendado contra febres e urina presa; o chá da casca e das folhas põe fim a pressão baixa e combate as perturbações do estômago.
Conhecido como Panacéia Universal, atua sobre dezenas de males, é utilizado para diversas patologias, tais como reumático, infecções e febres, aterosclerose, combate ateromas (remove placas gordurosas das artérias), constipações, gripes, dores de garganta, acidez gástrica e úrica (alcaliniza o sangue), frieiras, caspas, cicatrizações, ajuda a manutenção de colágeno, hemoglobina, atua como anti-séptico entre outras.

Maracujá (Passiflora  Alata, P. Edulis)

Sedativo, anti-depressivo, analgésico, relaxante muscular e broncodilatador. Indicado para tratar ansiedade, insônia, dor de cabeça e depressões, auxilia no tratamento da hipertensão. Utilize 4g da planta em infusão para uma xícara de água.
É contra-indicado na gestação e a pacientes com pressão baixa. Em doses excessivas pode provocar sonolência e queda de pressão.

Pitanga (Eugenia uniflora L.)

É rica em  vitaminas A e contém licopeno, uma substância que combate o envelhecimento precoce e até o câncer. A pitanga pode trazer benefícios para diabéticos, hipertensos, além de apresentar propriedades medicinais antivirais, antifúngicas, antitumorais e analgésicas.
As folhas da pitangueira têm uma substância chamada pitanguina, que é muito utilizada em tratamentos caseiros. Além de ser ótima para diabetes, é calmante, diurética e ajuda a melhorar a febre, as doenças de estômago, hipertensão, obesidade, reumatismo, bronquite e doenças do coração.
Faça o chá com 3 colheres da folha em um litro de água. Quando a água estiver fervendo, desligue e deixe o chá abafado por cerca de 10 minutos. Depois, coe e beba em seguida.

Quebra-pedra (Phyllanthus niruri)

Comumente utilizada em chás caseiros para dissolver  pedras nos rins, cálculos biliares. É comprovada a sua eficácia no combate ao vírus da hepatite B, dores nas juntas, hidropisia e distúrbios da próstata. Para o chá, ferver por 10 minutos, em 1 litro de água, 10 g de flores secas de quebra-pedra. Consumir 2 a 3 xícaras por dia.

Romã (Punica Granatum)

Combate a teníase e ascaridíase, é indicado para tratar amigdalites e faringites, auxilia no tratamento do diabetes e corta diarréias agudas com pus e sangue.
Use 9g da casca do fruto para um litro de água, em infusão. É contra-indicado na gestação e em portadores de litíase. Doses excessivas podem provocar náuseas, vômito, tremores, cefaléia, cegueira noturna, dor abdominal e casos graves de paralisia respiratória, podendo levar a morte!

Salsa (Petroselinum crispum)

A salsa ou salsinha, Indicada contra os males dos rins, bexiga, pulmões, inflamação nos olhos, intestinos e fígado; abre o apetite, combate a hidropisia, os gases, hemorragia nasal e a febre, limpa o sangue e é expectorante. Melhora o sistema imunológico e é anti-inflamatório. Não deve ser consumida em excesso durante a gestação.
Além de ser usada largamente em saladas, os benefícios por esta erva aromática também podem ser aproveitados por meio de sua infusão, antes de cada refeição para uma boa digestão.

Tansagem (Plantago Major)

É adstringente contra qualquer inflamação, dos ouvidos, olhos, gengivas, garganta, faringe, estômago, intestinos, rins e bexiga. Seu suco usado externamente cura feridas, doenças da pele e infecção vaginal. O chá é purificador do sangue eliminando as impurezas em geral e combatendo o ácido úrico. Diurético, expectorante, antidiarréico, cicatrizante e anti-inflamatório. Utilize 15g da planta para um litro de água, em infusão. É contra-indicado em pacientes com arritmia e durante a gestação.


A tua saúde - remédio caseiro

Vinagre de maçã e bicarbonato, um milagre para a saúde

O vinagre de maçã e o bicarbonato foram usados tradicionalmente de múltiplas maneiras para todo tipo de remédios de saúde e beleza. São dois produtos e alimentos eficazes, econômicos e fáceis de conseguir, pelo que todos deveríamos tê-los em casa.
Por ser um grande diurético e aumentar o nosso metabolismo, o vinagre nos ajuda a eliminar o excesso de líquidos e de gordura do corpo.

O bicarbonato de sódio e o vinagre têm pH opostos, isto é, alcalino e ácido, respectivamente, o que permite que possamos tomar esta bebida sem nos prejudicar. Desta maneira, obteremos todas as propriedades deste remédio sem acidificar mais nosso organismo, que já tem o pH alterado geralmente devido a má alimentação ou aos maus hábitos que provocam ainda mais acidez. Por outro lado, mesmo que muitas pessoas consumam bicarbonato de sódio para combater a acidez gástrica, isso não é bom em longo prazo, já que pode alterar o pH naturalmente ácido do estômago. Precisamos que o ácido clorídrico do estômago se mantenha equilibrado para que possa digerir bem os alimentos.

O vinagre de maçã é um excelente alimento medicinal, capaz de depurar nosso organismo e, ao mesmo tempo, revitalizá-lo, graças aos seus abundantes valores nutricionais. Contém vitaminas A e B, ácidos graxos essenciais, enzimas e múltiplos minerais, como o cálcio, fósforo, o potássio, o magnésio, o enxofre, o zinco, o ferro ou o silício, entre muitos outros.
Nos ajuda a eliminar toxinas graças ao seu teor de enxofre e, além disso, atua diretamente sobre o fígado, ajudando-nos a metabolizar melhor as gorduras. Previne infecções urinárias e cuida de nossos rins, já que nos ajuda a manter limpas as vias urinárias e a urina ácida.
Aumenta nosso metabolismo e elimina os excessos de gordura de nosso corpo, o que nos ajuda a emagrecer. É um grande diurético, pelo que nos permite eliminar o excesso de líquidos de nosso organismo. Previne a sequidão ocular graças ao seu teor em vitamina A.
Modo de preparo
Um copo de água, pode ser morna, uma colher de sopa de vinagre de maçã, uma pitada de bicarbonato de sódio.
Certifique se o vinagre de maçã é ecológico ou, ainda, se tem uma boa precedência e é de máxima qualidade, e para ser realmente efetivo terá que ser cru, isto é, não pasteurizado. 
Como tomar
Podemos beber de um a três copos por dia, mas é fundamental que façamos sempre com o estômago vazio, ao menos uma hora antes da refeição seguinte. Se quisermos fazer uma limpeza no organismo, podemos beber um copo uma hora antes de cada um das três refeições principais. Se, ao contrário, quisermos fazer uma manutenção, podemos beber um copo em jejum, ao menos uma hora antes do café da manhã. 


10 motivos para se ter plantas em casa


As plantas podem curar e purificar o ar

Além de trazer benefícios para saúde e nos conectarem com a natureza, na decoração, elas ajudam a trazer mais verde para casa, dão vida e tem diversos poderes. 
O poder que as plantas tem na vida das pessoas são as ótimas sensações que elas trazem para dentro de casa e que vão muito além da estética e da decoração. Plantas oferecerem beleza sim, mas também perfume, relaxam, boas energias, purificam o ar e podem até nos deixar mais concentrados. Em troca pedem pouco: água, sol e um pouquinho da sua atenção.
Aliás, esse tempo e atenção dedicado às plantas pode se transformar em uma forma de terapia. É comprovado que sujar-se de terra é um antidepressivo natural.

1 – Na decoração

Esse é o primeiro motivo que as pessoas levam em consideração, espalhadas em diversos ambientes são ótimas para decorar: elas enchem os diferentes cantos com suas formas, cores e texturas exclusivas desenhadas pela natureza.
Existem muitos tipos que se adaptam de acordo com o seu estilo de vida. Depois que você começa a ter plantas em casa, é difícil parar, o mais legal é que ao decorar, você tem a liberdade de criar vasos diferentes e originais.

2 – No aroma

Plantas podem liberar cheiros que relaxam, que evocam memórias e que naturalmente trazem um maior bem estar. A ligação entre o sistema olfativo e o cérebro é tão grande, que a reação é imediata.
O legal é pensar qual cheirinho te traz uma sensação positiva e daí apostar em um vaso próximo à janela, cozinha ou banheiro. Como lavanda, jasmim, limão, alecrim, camélia, hortelã, todas essas plantas exalam grandes aromas.

3 – Purificam o ar

As plantas e flores  purificam o ar da casa, melhoram a qualidade do sono, o nosso bem estar e o dia a dia. Uma pesquisa garante que as espécies mais comuns testadas filtram poluentes, produtos químicos tóxicos, compostos orgânicos voláteis, além de gerar oxigênio, ajudar na umidade e absorver os gases nocivos à saúde.
Certas plantas são até eficazes na remoção do benzeno, amoníaco, formaldeído, tricloroetileno e xileno, e podem ter efeitos benéficos, ajudando as pessoas a não terem dores de cabeça e irritação nos olhos.

4 – Diminuem os barulhos e a temperatura  

As plantas contribuem para diminuir o barulho e abaixar a temperatura dentro de casa. Folhas e árvores, por exemplo, filtram os raios do sol e podem canalizar os ventos, além de amortecer os ruídos com a absorção das ondas sonoras.
Muros com trepadeiras e heras, corredores de plantas, arbustos perto das janelas e até telhados feitos de forração, são barreiras naturais acústicas e do calor. O jasmim-estrela, a glicínia, a tumbérgia, a unha-de-gato, a madressilva são ótimas para isso, têm uma folhagem densa, crescem rapidamente e são fáceis de cuidar.

5 - Você fica menos doente

Plantas e flores melhoram (e muito!) a umidade do ar: aproximadamente 97% da água absorvida por elas é devolvida para o ambiente. Isso significa que elas liberam umidade por sua transpiração e ajudam a tornar o ambiente mais agradável, em um ambiente de trabalho também ajudam a reduzir resfriados, dores de cabeça e de garganta em até 30%.

6 – Plantas são terapêuticas

O verde é a cor do meio do espectro, é considerada a cor do equilíbrio e é vista como refrescante, pura e natural. Na realidade, o verde tem o poder de promover a concentração e de aliviar sentimentos negativos e de estresse.
É por isso que hospitais possuem salas verdes: o tom é associado com tranquilidade, além de descansar os olhos. Segundo uma pesquisa nos Estados Unidos, pacientes relataram menos dores e ansiedade enquanto tinham plantas em seus quartos.
Isso significa que o ritual de cuidar de uma plantinha – regar, mexer na terra, podar, ou apenas ter a sua companhia, pode se transformar em um momento de paz na rotina, acalmando a alma.

7 – Aprendemos a ter paciência e aceitar os ciclos da vida

O ritmo certo, a responsabilidade sobre um outro ser, seu crescimento, valorizar mais o meio ambiente e o mundo ao seu redor: com um simples vasinho podemos aprender muito. Ficamos felizes quando a orquídea dá flor, quando a samambaia brota, quando o feijão plantado no algodão nasce (nostalgia!).
Com as plantas aprendemos que temos que respeitar os ciclos da natureza, ter paciência (afinal, a planta cresce em seu tempo), que depois que suas folhas caem há sempre a sua renovação. Elas também são uma ótima metáfora para ensinar esses princípios para as crianças.

8 – Plantas relaxam e trazem paz 

Segundo estudos, as pessoas se sentem mais energizadas e revitalizadas após passarem, ainda que apenas um pouco de tempo, junto da natureza. Manter esse contato com o verde é uma das melhores formas de relaxar. Cuidar de plantas ou apenas estar envolto por elas nos ajuda a renovar as energias. Por isso, tê-las em casa é uma boa dica para quem não tem tempo de acampar no mato ou passear nos parques da cidade.
Tudo o que você precisa é do verde presente nos ambientes ou de flores com pétalas coloridas, como as violetas roxas. A cor também é tranquilizante e ajuda a diminuir as doses de adrenalina do corpo. 

9 – São boas para a mente 

Você passa o dia todo no computador e o estresse começa a pegar. Observar as folhas verdes após horas com os olhos cansados pode ser uma boa pedida, já que o tom é percebido pelo cérebro como suave, aliviando a tensão ocular. Outro estudo nos EUA mostrou que, após passar uma hora em contato com a natureza, o desempenho da memória aumenta 20%.
Quando você vê uma planta, inconscientemente já fica mais tranquilo: o contato permite que o cérebro abstraia a tensão com maior facilidade, relaxando a mente.

10 – Plantas inspiram criatividade

Saiba que observar as cores, aromas e texturas da natureza pode abstrair a sua mente, a manter livre dos problemas, deixando a energia fluir melhor e ajudando a pensar em soluções.
As folhas verdes e coloridas trazem muita inspiração e energizam tudo o que há ao redor. A natureza é pura criatividade!

17 melhores plantas para limpar o ar

Mas quais são as plantas decorativas que nos traz benefícios para saúde, e que devemos usá-las dentro de casa?
No final dos anos 80, a agência espacial americana, NASA, procurava maneiras de desintoxicar o ar em suas estações espaciais. Foi assim que realizou um estudo para determinar quais plantas seriam mais eficazes na filtragem da poluição cujo resultado, publicado em 1989, foi resumido em uma lista.
A Nasa ainda detalhou alguns dos poluentes do ar que rondam a todos e os perigos para a saúde humana, confira abaixo:

Tricloroetileno 

É encontrado em tintas de impressão, tintas, lacas, vernizes, adesivos e removedores de tinta. Os sintomas associados à exposição a curto prazo podem incluir excitação, tontura, dor de cabeça, náuseas e vômitos, seguidos de sonolência e coma.

Formaldeído 

Pode ser encontrado em sacos de papel, papéis encerados, tecidos faciais, toalhas de papel, painéis de madeira compensada e tecidos sintéticos. Os sintomas associados à exposição a curto prazo podem incluir irritação no nariz, boca e garganta, e em casos graves, inchaço da laringe e pulmões.

Benzeno 

É usado para fazer plásticos, resinas, lubrificantes, detergentes e drogas. Também é encontrado no fumo do tabaco, cola e cera de móveis. Os sintomas associados à exposição a curto prazo podem incluir irritação nos olhos, sonolência, tontura, dor de cabeça, aumento da frequência cardíaca, dores de cabeça, confusão e, em alguns casos, pode resultar em inconsciência.

Xileno 

Pode ser encontrado em borracha, couro, fumo de tabaco e escapamento de veículo. Os sintomas associados à exposição a curto prazo podem incluir irritação na boca e na garganta, tontura, dor de cabeça, confusão, problemas cardíacos, danos no fígado e nos rins e coma.

Amônia 

É muitas vezes encontrado em limpadores de janelas, ceras de chão, sais e fertilizantes. Os sintomas associados à exposição a curto prazo podem incluir irritação ocular, tosse e dor de garganta.

Agora abaixo segue a lista compilada pela Nasa que mostra quais são as melhores plantas filtrantes para ter em casa. Tomando o cuidado que algumas delas são altamente venenosas, no caso de ingeridas acidentalmente por animais ou crianças. Portanto, verifique muito bem o local onde pô-las, deixando-as bem fora de alcance:

Tamareira-anã (Phoenix roebelenii)


Samambaia-americana (Nephrolepis exaltata)


Samambaia Kimberly (Nephrolepis obliterata)


Clorofito (Chlorophytum comosum)


Café-de-salão (Aglaonema modestum)


Palmeira de Jardim (Dypsis lutescens)


Figueira-Benjamim (Ficus benjamina)


Jiboia (Epipremnum aureum)


Antúrio (Anthurium andreanum)



Palmeira-dama (Rhapis excelsa)


Gérbera (Gerbera jamesonii)


Dracena (Dracaena fragrans)


Hera (Hedera helix)


Espada-de-são-jorge (Sansevieria trifasciata) 

Muito presente nos lares brasileiros, a espada de São Jorge ainda é usada como símbolo de proteção em algumas crenças.

Dragoeiro de Madagascar (Dracaena marginata)


Lírio-da-paz (Spathiphyllum wallisii)


Crisântemo (Chrysanthemum morifolium)




(ADVERTÊNCIA) - Fica expressamente rejeitado qualquer responsabilidade pelo uso de plantas e/ ou alimentos sem a necessária autorização de um médico (fitoterapeuta) ou pessoa comprovadamente gabaritada; o qual deverá ser informado sobre a utilização de chás, compressas, enfim, de todo método alternativo alheio ao seu aconselhamento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário