24.7.16

O Calor no Camping

Sobrevivência no Calor

Para sobreviver e usufruir em áreas áridas ou desérticas, tem que estar preparado para o ambiente que você irá enfrentar. Você deve determinar suas necessidades de equipamentos, as técnicas que vai usar, e como o ambiente vai afetar você e suas táticas. Sua sobrevivência dependerá do seu conhecimento do terreno, elementos climáticos básicos, sua capacidade de lidar com esses elementos, e sua vontade de sobreviver.

A necessidade de água

O tema do homem e da água no deserto gerou considerável interesse e confusão desde os primeiros dias da Segunda Guerra Mundial, quando o Exército dos EUA estava se preparando para lutar na África do Norte. Ao mesmo tempo o Exército dos Estados Unidos pensou que poderia condicionar os homens a viver com menos água, reduzindo progressivamente as suas fontes de água durante os treinos. Chamaram-lhe a disciplina da água, e fez centenas de vítimas de calor.

Desertos de perigos

Há vários riscos exclusivos no deserto para a sobrevivência. Estes incluem insetos, cobras, plantas venenosas e cactos, água contaminada, queimaduras solares, irritação dos olhos e stress climático.
Insetos de quase todos os tipos abundam no deserto. O homem, com uma fonte de água e comida, atrai piolhos, ácaros, vespas, moscas etc. Eles são extremamente desagradáveis e podem transmitir doenças. Instalações antigas, ruínas e cavernas são habitats preferidos de aranhas, escorpiões, centopéias, piolhos e ácaros. Essas áreas oferecem proteção contra os elementos (intempéries), mas atraem outras vidas selvagens. Portanto, tome cuidado extra quando ficar nessas áreas.
Use luvas em todos os momentos no deserto, e não coloque suas mãos em qualquer lugar sem primeiro olhar para ver o que está lá. Inspecione visualmente uma área antes de sentar ou deitar. Quando você se levantar, sacuda e inspecione suas botas e roupas.



Todas as áreas do deserto têm cobras. Eles habitam ruínas, aldeias indígenas, lixões, cavernas e afloramento de rocha natural que oferecem sombra. Nunca ande descalço ou caminhe sobre essas áreas sem inspecioná-las cuidadosamente. Preste atenção onde você coloca seus pés e mãos. A maioria dos acidentes resultam em pisar ou manusear cobras. Evite-as, depois de ver uma cobra, dê-lhe distância.
Leia tudo sobre cobras, aranhas e escorpiões em..  Animais venenosos - Picadas e mordidas 

Princípios básicos de sobrevivência no calor

Um fator chave para sobrevivência no deserto é compreender a relação entre atividade física, temperatura do ar e consumo de água. O corpo requer uma certa quantidade de água para um determinado nível de atividade a uma determinada temperatura. Por exemplo, uma pessoa que executa o trabalho duro no sol a 43°C requer 19 litros de água por dia. Falta de quantidade necessária de água provoca um rápido declínio na capacidade do indivíduo tomar decisões e executar tarefas de forma eficiente. A temperatura normal do corpo é 36,9°C, e seu corpo se livra do excesso de calor pela transpiração. Quanto mais quente o seu corpo mais você vai suar, e quanto mais você sua, mais umidade você perde. Suar é a principal causa de perda de água. Se uma pessoa pára de suar durante períodos de alta temperatura e trabalho pesado ou exercício, ela vai desenvolver rapidamente insolação. Esta é uma emergência que requer atenção médica imediata.

Compreender como a temperatura do ar e sua atividade física afetam suas necessidades de água permite-lhe tomar medidas para obter o máximo de seu abastecimento de água. Estas medidas são:
Encontrar sombra! Saia do sol!
Coloque algo entre você e o chão quente.
Limitar os seus movimentos!
Selecionando um abrigo adequado no calor.
Quando você está em uma situação de sobrevivência e perceber que o abrigo é uma alta prioridade, comece a construir o mais rápido possível. Ao fazê-lo, lembre-se que você vai precisar de dois requisitos:  
Deve conter o material para fazer o tipo de abrigo que você precisa.
Deve ser grande o suficiente e  pequeno ao nível suficiente para você deitar-se confortavelmente.

Quando você considera esses requisitos, no entanto, você não pode ignorar sua situação de sobrevivência e segurança. Você também deve considerar se o local:
Fornece ocultação de observação aos animais.
- Mistura-se com os arredores. 
- Localização isolada.
- É adequado para sinalização, se necessário.
- Fornece proteção contra animais, rochas e árvores mortas que possam cair.
- Está livre de insetos, répteis e plantas venenosas.
camping-deserto-450
Você também deve lembrar os problemas que poderiam surgir em seu ambiente. Por exemplo:
Evite áreas de inundação relâmpago.
Evite avalanche ou deslizamento de terra em áreas em terreno montanhoso.
Evite locais perto de nascentes de água que estão abaixo da marca d'água alta.
Em algumas áreas, a estação do ano tem uma forte influência sobre o local que você seleciona. Locais ideais para um abrigo diferem no inverno e verão. Em lugares quentes nos meses de verão na mesma área você vai querer uma fonte de água, mas você vai querer que o local seja quase livre de insetos.
Para fazer um abrigo, veja como em.. Armando o Acampamento 

Conserve o seu suor. No sol a "pino" vista sua roupa completa, isso inclui T-shirt por baixo. Desenrole as mangas para baixo, cubra a cabeça, e proteja o seu pescoço com um lenço ou item similar. Estas medidas irão proteger o corpo de ventos quentes e os raios diretos do sol. Sua roupa vai absorver o suor, mantendo-a contra a sua pele para que você ganhe seu efeito de arrefecimento completo. Nas horas de descanso à sombra, use roupas bem leves, mas ao sol, lembre-se, cubra-se.
Lembre-se dos povos beduínos e tuaregues, completamente vestidos ao sol, você vê somente os olhos. Obs: a cor "negra" que eles usam (não é a toa) absorve o calor! pra quê isso? logicamente absorvendo o calor eles suam e junto com a roupa, internamente, vira um ar-condicionado natural.

Ao ficar na sombra, completamente e levemente vestido, fique em silêncio total sem falar, mantenha a boca fechada e respire pelo nariz, sua necessidade de água para a sobrevivência cai drasticamente. Se a água é escassa, não coma!. Alimentos requer água para a digestão; Portanto, comer alimentos vai usar a água que você precisa para se refrescar. A sede não é um guia confiável para a sua necessidade de água. Uma pessoa que usa a sede como um guia vai beber apenas dois terços de sua necessidade diária de água.

Para evitar que essa desidratação "voluntária" aconteça, use o seguinte guia:
1 - Em temperaturas abaixo de 38°C, beba 0,5 litro de água a cada hora.
2 - Em temperaturas acima de 38°C, beber 1 litro de água a cada hora.
Beber água em intervalos regulares ajuda o corpo a manter a calma e diminui a transpiração. Mesmo quando o abastecimento de água é baixo, ao beber água constantemente irá manter seu corpo mais frio e reduzir a perda de água através da transpiração. Conserve seus fluidos pela redução de atividades durante o calor do dia. Use roupas bem leves à sombra para não suar e perder líquidos. Não racione a água! Se você tentar racionar água, você tem uma boa chance de se tornar uma vítima do calor.
Nessa jornada o assunto principal e primordial é "água" e sobreviver ao calor extremo usando técnicas de como procurá-la, mas e a comida? 
Veja então no post.. Caça/ Pesca & Sobrevivência

O Terreno

A maioria das áreas desérticas brasileiras correspondem há vários tipos de terrenos. Os quatro tipos básicos e principais são:
Mata Atlântica interiorana  
Cerrado 
Restinga 
Caatinga 
O terreno desértico brasileiro torna o movimento difícil e exigente, e as caminhadas serão extremamente árduas, pois pode haver muito poucos pontos de referências. O grande problema no Sertão, por exemplo, não é só o calor, mas sim a seca e as intempéries da região. Abrigos naturais podem ser muito limitados; por conseguinte, o risco de exposição ao sol permanece constante.

Mata Atlântica de interior

O clima é equatorial no nordeste do país e temperado quente nas regiões mais ao sul. A pluviosidade está entre as maiores do mundo, especialmente onde a Serra do Mar forma uma barreira para a penetração continental dos ventos úmidos oriundos do oceano Atlântico. Os solos da Mata Atlântica são antigos e erodidos pela alta pluviosidade e pelas temperaturas elevadas. A topografia é bastante irregular desde o nordeste  do Rio Grande do Sul até a Bahia. Então, não se engane, pensando ser um local aprazível. Nessas regiões, verifica-se a presença de uma cadeia montanhosa, com altitude média em torno de 900 m, que dá lugar aos planaltos que se estendem pelo interior dos estados das regiões Sudeste e Sul. Na região Nordeste, as maiores elevações estão afastadas do litoral, havendo apenas alguns trechos nos quais elevações de 500 m a 800 m se encontram próximas ao litoral.Terrenos altos podem subir gradualmente ou abruptamente de áreas planas para vários milhares de metros acima do nível do mar.

Cerrado

O Cerrado brasileiro corresponde às savanas, ocupando uma área equivalente a 2 milhões de km². Apresenta uma extensa área nuclear contínua e "manchas" em meio à floresta Amazônica e a Mata Atlântica. As chuvas concentram-se entre setembro e maio. Isso caracteriza um clima tropical sazonal com inverno seco. Aproximadamente metade das áreas dos cerrados se situa entre 300 m e 600 m acima do nível do mar. Um barranco pode variar de 3 metros de largura e 2 metros de profundidade a várias centenas de metros de largura e profundidade. A direção pode  variar tanto quanto a sua largura e profundidade.

Restingas - Zona da Mata

Consideradas uma subdivisão do bioma de Mata Atlântica (Zona da Mata), as restingas compreendem os ecossistemas situados na orla litorânea que se desenvolvem sobre solo arenoso, com aspecto bem diferente do observado nas florestas. As restingas também não devem ser confundidas com a vegetação de dunas, composta por ervas e pequenos arbustos, que se desenvolvem sobre a praia propriamente dita.

O solo é arenoso e frouxo, não retendo água. As plantas apresentam raízes superficiais, adaptadas a absorver rapidamente a água das chuvas antes que ela seja drenada. Os solos arenosos são também pobres de nutrientes. Assim, as plantas dependem da rápida decomposição de material orgânico nas camadas superficiais.

A Zona da Mata

É uma sub-região que fica na costeira da Região Nordeste do Brasil que se estende do estado do Rio Grande do Norte até o sul da Bahia, formada por uma estreita faixa de terra para os padrões continentais do Brasil. O nome “Zona da Mata” deve-se à Mata Atlântica que originalmente cobria a região, mas atualmente está quase extinta.

Caatinga - Sertão/ Agreste/ Cariri

A Caatinga (palavra de origem tupi-guarani, "mata-branca") acompanha as regiões de clima semiárido. Este nome decorre da paisagem esbranquiçada apresentada pela vegetação durante o período seco: a maioria das plantas perde as folhas e os troncos tornam-se esbranquiçados e secos. Ocupa 850.000 km², abrangendo a maior parte de Alagoas, Bahia, Ceará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe, além do norte de Minas Gerais. Se caracteriza pelas temperaturas médias anuais elevadas e precipitação entre 300 mm e 600 mm anuais.

É o único bioma exclusivamente brasileiro, o que significa que grande parte do seu patrimônio biológico não pode ser encontrado em nenhum outro lugar do planeta. 

Na Caatinga vive a ararinha-azul, ameaçada de extinção. O último exemplar da espécie vivendo na natureza não foi mais visto desde o final de 2000. Outros animais da região são o sapo-cururu, asa-branca, cutia, gambá, preá, veado-catingueiro, tatu-peba e o sagui-de-tufos-brancos, entre outros.
A famosa Asa-branca

O Carcará

As chuvas são concentradas e a estação seca perdura por até oito meses ou mais. Os solos rasos, em muitas regiões, são ricos em nutrientes. A água, portanto, é o principal fator limitante para o desenvolvimento da vegetação. As áreas contém terrenos irregulares ou altamente dissecados.

A Caatinga Fluminense

É um tipo de vegetação de clima semiárido que ocorre nos municípios de Arraial do Cabo, Armação dos Búzios, Cabo Frio, Iguaba Grande, São Pedro da Aldeia na Região dos Lagos no Rio de Janeiro. 

A paisagem apresenta cactos gigantes, arbustos retorcidos e pequenas flores. As árvores desenvolvem galhos retorcidos e entrelaçados para resistir ao clima seco. Classificada pelo IBGE como estepe arbórea aberta, é o único tipo de caatinga litorânea.
Armação dos Búzios e a Caatinga

O Sertão - também conhecido como sertão nordestino, é uma das quatro sub-regiões da Região Nordeste do Brasil, sendo a maior delas em área territorial. Estende-se pelos estados de Alagoas, Bahia, Ceará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe. Ao contrário dos demais semidesertos do mundo, o sertão não margeia um grande deserto, mas sim zonas úmidas. Isso explica suas peculiaridades biomáticas e sua atipicidade demográfica. Além do calor que acompanha a região, ela é inóspita e a vida no sertão é muito dura. Compreende as áreas dominadas pelo clima tropical semiárido (quente e seco), apresentando temperaturas médias elevadas, entre 25 º C e 30 °C (ultrapassando os 42 º C nos dias mais quentes somente no Raso da Catarina na Bahia e no centro-sul do Piauí) e duas estações bem definidas: uma chuvosa e outra seca. As chuvas concentram-se em apenas três ou quatro meses do ano, e pluviosidade no Sertão atinge a média de 750 milímetros anuais, sendo que em algumas áreas chove menos de 500 milímetros ao ano.

O Agreste

É uma área na região Nordeste de transição entre a Zona da Mata e o Sertão, que se estende por uma vasta área dos estados brasileiros da Bahia, Sergipe, Alagoas, Pernambuco, Paraíba e Rio Grande do Norte. A área ocupada pelo Agreste situa-se numa estreita faixa, paralela à costa. Possui como características principais solos profundos (latossolos e argissolos), com relevo extremamente variável, associados a solos rasos (litossolos), solos relativamente férteis, vegetação variável com predominância de vegetação caducifólia (decídua). É uma área sujeita a secas, cuja precipitação pluviométrica varia entre 300 e 1200 mm/ano, oscilando predominantemente entre 700 e 800 mm/ano. Possui 4 pólos principais: Campina Grande (principal do Agreste Setentrional), Caruaru principal do Agreste Central), Arapiraca (principal do Agreste Centro-Meridional) e Feira de Santana (principal do Agreste Meridional).

O Cariri

Região Metropolitana do Cariri (RMC), antigo CRAJUBAR, está localizada no estado brasileiro do Ceará. A região metropolitana surgiu a partir da conurbação entre os municípios de Juazeiro do Norte, Crato e Barbalha, chamada triângulo CRAJUBAR). Foi criada por uma Lei Complementar Estadual nº 78 sancionada em 29 de junho de 2009[3]. Somando-se a eles, foram incluídas as cidades limítrofes situadas no Cariri cearense: Caririaçu, Farias Brito, Várzea Alegre, Jardim, Missão Velha, Nova Olinda e Santana do Cariri. Tem como área de influência a região sul do Ceará e a região da divisa entre o Ceará e os estados de Pernambuco, Paraíba e Piauí.

Fatores ambientais

Em uma área de deserto há sete fatores ambientais que você deve considerar:
Baixa pluviosidade
luz solar e calor intensos
ampla faixa de temperatura
vegetação escassa

Baixa precipitação

É o fator ambiental mais óbvio em uma área árida. Algumas áreas desérticas recebem menos de 10 centímetros de chuva por ano, e esta chuva vem em breves torrentes que rapidamente funcionam fora da superfície do solo. Você não pode sobreviver por muito tempo sem água em altas temperaturas nesse clima. Em uma situação de sobrevivência no deserto, você deve considerar em primeiro lugar "Quanta água eu tenho?" e "Onde estão outras fontes de água?"

Luz solar e calor intensos

Estão presentes em todas essas áreas. A temperatura  pode subir tão alto quanto 50°C durante o dia. Resultando ganhos de calor da luz solar direta, ventos quentes, calor reflexivo (raios do sol que salta fora a areia), e calor condutor do contato direto com a areia do deserto e as rochas. A temperatura da areia e de rocha médias de 16 a 22°C  mais do que a do ar. Por exemplo, quando a temperatura do ar é de 33°C, a temperatura de areia pode ser de 50°C. Luz solar e calor intensos aumentam a necessidade do corpo para a água. Para conservar seus fluidos corporais e energia, você vai precisar de um abrigo para reduzir a sua exposição ao calor do dia. Viaje à noite para diminuir o uso de água.

Diferença - Ampla faixa de temperatura

As temperaturas em zonas áridas pode ficar tão alto quanto 55°C durante o dia e tão baixo quanto -10°C durante a noite. A queda na temperatura durante a noite ocorre rapidamente e relaxar uma pessoa que não tem roupas quentes  é quase impossível. As noites frias são as melhores horas para produzir ou viajar. Se o seu plano é descansar à noite, você precisa de roupas de lã, como uma camisola e um gorro serão extremamente útil.

Vegetação escassa

Com pouca vegetação você terá dificuldades em construir um abrigo e se aquecer durante à noite. Procure obter o máximo de vegetação possível. Obs: o vazio do terreno no deserto faz com que a maioria das pessoas subestimem a distância de um fator de três: O que parece ser a 1 km é realmente a 3 km de distância.

Acidentes de calor

Suas chances de se tornar uma vítima do calor como um sobrevivente são grandes, devido a lesão, estresse e falta de itens essenciais de equipamentos. A seguir estão os principais tipos de sintomas de calor excessivo e seu tratamento quando pouco de água e sem ajuda médica estão disponíveis.

Cãibras de calor

A perda de sal, devido à transpiração excessiva provoca câimbras. Os sintomas são moderados a graves, como cãibras musculares nas pernas, braços, ou no abdômen. Estes sintomas podem começar como um desconforto muscular leve. Você deve parar toda a atividade, descansar na sombra e beber água. Se você deixar de reconhecer os primeiros sintomas e continuar a sua atividade física, você vai ter cãibras musculares graves e dores. Trate como para a exaustão de calor, abaixo.

Exaustão de calor

Uma grande perda de água do corpo e sal provoca exaustão pelo calor. Os sintomas são dor de cabeça, confusão mental, irritabilidade, transpiração excessiva, fraqueza, tonturas, câimbras, e pele pálida, úmida, fria (úmida). Leve imediatamente o paciente para a sombra. Faça-o deitar em uma maca ou item semelhante cerca de 45 centímetros do chão. Solte sua roupa. Polvilhe-o com água para refrescá-lo. Dê-lhe de beber pequenas quantidades de água a cada 3 minutos. Certifique-se de que ele fique quieto e descanse.

Insolação

É uma lesão de calor grave causada pela extrema perda de água e sal e incapacidade do corpo para refrescar-se. O paciente pode morrer se não for refrigerado imediatamente. Os sintomas são a falta de suor, pele quente e seca, dor de cabeça, tonturas, pulso rápido, náuseas e vômitos e confusão mental levando à inconsciência. Leve imediatamente a pessoa a sombra. Coloque-o em uma maca ou item semelhante cerca de 45 centímetros do chão. Solte suas roupas. Derrame água sobre ele (não importa se a água está poluída ou salobra). Massageie seus braços, pernas e corpo. Se ele recuperar a consciência, deixe ele beber pequenas quantidades de água a cada 3 minutos. Se você tem algumas compressas frias no seu kit de primeiros socorros, aplique nas - axilas e virilha - duas áreas que irão ajudar a baixar a temperatura do corpo em geral.
Para tratamento veja em.. Insolação e Desidratação - Primeiros Socorros

Precauções

Em uma sobrevivência no deserto, é pouco provável que você tenha material médico ou médico com você para tratar lesões de calor. Portanto, tome cuidado extra para evitá-las. Descanse durante o dia. Trabalhe durante as noites frias e caminhe nas noites. 
Observe as seguintes diretrizes:
1 - Certifique-se de que você diga a alguém onde você está indo e quando vai voltar.
2 - Atenção aos sinais de lesão de calor. Se alguém se queixa de cansaço ou se afasta do acampamento, ele pode ser uma vítima de calor.
3 - Beber água pelo menos uma vez por hora.
4 - Descanse na sombra quando em repouso; não deite diretamente sobre o solo.
5 - Não tire a camisa ao trabalhar durante o dia.
6 - Verifique a cor da sua urina. A cor da luz significa que você está bebendo bastante água, uma cor escura significa que você precisa beber mais.

Água

A água é uma das suas necessidades mais urgentes em uma situação de sobrevivência. 
Você não pode  viver muito tempo sem ela, especialmente em áreas quentes, onde você perde água rapidamente através da transpiração. 
Mais de três quartos de seu corpo é composto de líquidos. Seu corpo perde líquido, como resultado de calor, frio, estresse e esforço. Para funcionar de forma eficaz, é necessário substituir o fluido que seu corpo perde. Então, um de seus primeiros objetivos é obter um fornecimento adequado de água.
Quase todo o ambiente tem água presente em algum grau. Se você não tem uma fonte confiável para se reabastecer de água, fique alerta para os recursos em que seu ambiente e a natureza podem ajudá-lo.

Técnicas de coleta de água

Orvalho pesado pode fornecer água. Amarre panos ou tufos de erva fina em torno de seus tornozelos e caminhar através da grama coberta de orvalho antes do sol nascer. Como os trapos ou tufos de grama absorvem o orvalho, torça a água em um recipiente. Repita o processo até que você tenha um suprimento de água ou até que o orvalho se vá. Nativos australianos, por vezes, coletam tanto quanto um litro de uma hora dessa maneira.
Água, por vezes, se reúne em ranhuras de árvores ou fendas de rochas. Use os procedimentos acima para obter a água. Em zonas áridas, excrementos de pássaros em torno de uma rachadura nas rochas pode indicar a água dentro ou perto da rachadura. Mesmo nesses lugares, procure descidas e depressões acentuadas até encontrar água.

Abelhas ou formigas indo para uma toca em uma árvore pode apontar para um buraco cheio de água. Use como sifão tubos de plástico (canudos de bambu) para sorver água ou colher-la com uma concha improvisada. Você também pode encher com pano o buraco para absorver a água e, em seguida, torça-o do pano.
Moitas de bambu verdes são uma excelente fonte de água fresca. Água de bambu verde é clara e inodora. Para obter a água, dobre uma haste de bambu verde, amarre para baixo, e corte a parte superior. A água vai escorrer livremente durante a noite. Bambu velho, rachado também pode conter água.

Cuidado - Purifique sempre a água antes de beber.
Onde quer que esteja, encontrando uma bananeira, você pode obter água. Corte a árvore, deixando cerca de um tronco de 30 centímetros, e retire o centro do "miolo" de modo que a cavidade fique em forma de tigela. A água da raiz começará preencher imediatamente o vazio. Os primeiros três lances de água será amargo, mas os seguintes serão palatáveis. O miolo irá fornecer água para até quatro dias. Certifique-se de cobri-lo para impedir a entrada de insetos.

Cuidado - Não beba nenhum líquido se ele for pegajoso, leitoso, ou de sabor amargo.
O leite de coco verde (imaturo) é bom para matar a sede, dizem que é a árvore da vida, mas para o sobrevivente viver somente de coco verde não é boa opção, ele contém muitos sais minerais que com o tempo eliminam a água que seu corpo necessita, então cuidado, procure água. O leite de coco maduro contém um óleo que atua como um laxante (serve também como ótimo protetor solar). Beba apenas com moderação.
Nos trópicos americanos você pode encontrar grandes árvores cujos ramos suportam plantas aéreas, que são bromélias. As bromélias aéreas podem conter uma quantidade considerável de água da chuva em sua sobreposição, densamente crescendo entre as folhas. Coe a água através de um pano para remover insetos e detritos.

Você pode obter água a partir de plantas com centros polpudos e úmidos. Corte uma seção da planta e aperte ou esmague a polpa de modo que a umidade se esgote. Pegue o líquido em um recipiente. As raízes das plantas também podem fornecer água. Escave ou arranque as raízes do solo, corte em pequenos pedaços, e esmague a polpa de modo que a umidade se esgote. Folhas carnudas, caules, ou talos, como o bambu, contêm água. Corte ou entalhe os caules na base de uma junta para drenar para fora o líquido.
Se você está fixo em um local escolhido, pronto para um abrigo, e acha que vai passar alguns dias, e não há uma fonte de água próximo, então você precisa começar a trabalhar em recolher água.
deserto-outback-450
Existem algumas técnicas para fazer isso, e não faz mal a criação de mais de um sistema.
Quanto mais água você pode coletar, melhor suas chances de sobrevivência.
Uma maneira bastante básica para você recolher a água é fazer um coletor abaixo do solo. Para fazer isso, você vai precisar de alguma folha plástico laminado ou comum, uma ferramenta de escavação, um recipiente, um tubo de beber e uma rocha.
- Escolha uma área úmida que receba luz solar durante a maior parte do dia.
- Cave um buraco em forma de tigela de cerca de três pés de diâmetro e dois pés de profundidade, com um espaço adicional escavado no centro.
- O espaço deve ser plano e grande o suficiente para manter o seu recipiente.
- Coloque o recipiente dentro do espaço.
- Coloque o tubo de beber no recipiente e ponha para cima e para fora do buraco principal.
- Coloque o plástico sobre o buraco e cubra os lados com rochas e areia para mantê-lo firme.
- Coloque uma pedra no centro da folha e deixe cair para baixo cerca de 18 polegadas, diretamente sobre o recipiente para formar um cone invertido.
- Adicionar mais areia nas extremidades para dar estabilidade.

A umidade do solo reage com o calor do sol para produzir a condensação no plástico. O coletor obriga a condensação passar pelo plástico e cair no recipiente. Você também pode adicionar uma vegetação dentro do buraco para aumentar a quantidade de umidade - a garantir que as plantas não são venenosas. Use o tubo para beber diretamente a partir do recipiente. Se você não tiver um, você pode remover o recipiente e remontá-lo depois. Um bom coletor pode produzir até um litro de água potável por dia.

Se você encontrar uma área enlameada nas proximidades, pode haver água subterrânea disponível. Cave um buraco de cerca de um pé de profundidade e um pé de diâmetro e espere alguns minutos. Você pode se surpreender ao descobrir que o buraco é logo preenchido lentamente com água.

Esta água subterrânea será barrenta, mas coando através de algum pano vai limpá-la, e ele vai te abastecer por curto prazo. É fundamental lembrar se a qualquer momento você beber esta água encontrada sem purificá-la, estará assumindo um risco de contrair doenças.

Se a sua energia estiver em baixa, você vai querer evitar escavações, então use este método. Tudo o que você realmente precisa é de um saco plástico, um barbante ou fio, uma pedra, para poder usar a técnica da transpiração para coletar potável água:
Na parte da manhã, pegue o saco e amarre em torno de um galho ou ramo de árvore ou arbusto de folhas bem verdes.

Ponha no interior uma pequena pedra criando um ponto baixo para que a água se acumule.
Ao longo do dia, a planta vai transpirar e produzir umidade que irá recolher para o ponto baixo. Faça um buraco para beber a água ou derramá-la em um recipiente para mais tarde. A água que vai provar é tudo da planta que você escolheu, mas é melhor que nada. Também é importante o uso de vegetação não-venenosas. Assim que estiver satisfeito, amarre o buraco, feche e reutilize o saco mais tarde.

Purificação da água

A água da chuva recolhida em recipientes limpos ou em plantas é geralmente segura para beber. No entanto, purifique a água de lagos, lagoas, pântanos, nascentes, ou riachos, especialmente a água perto de assentamentos humanos ou nos trópicos. Quando possível, purifique toda a água que você tem de vegetação ou do solo usando iodo ou cloro, ou fervendo.
Purifique a água por: 
- Usando pastilhas de purificação de água. (Siga as instruções fornecidas).
- Colocar 5 gotas de 2 por cento tintura de iodo em uma cantina cheia de água limpa. Se a cantina estiver cheia de água gelada, use 10 gotas. (Deixe o cantil de água repousar durante 30 minutos antes de beber).
- Água fervente por 1 minuto ao nível do mar, adicionando 1 minuto para cada um adicional de 300 metros acima do nível do mar, ou ferva por 5 minutos, não importa onde você estiver. Apesar que água fervendo (1 minuto borbulhando) mata 95% de quase tudo nocivo. 
- Ao beber água não potável você pode contrair doenças ou engolir organismos que podem prejudicá-lo. Exemplos de tais doenças ou organismos é  Disenteria grave, diarreia prolongada com sangue nas fezes, febre e fraqueza. A cólera e febre tifóide. Você pode ser suscetível a essas doenças independentemente de inoculações.
- Água estagnada em folhas, água poluída - especialmente em áreas tropicais - muitas vezes contém vermes sanguíneos. Se você engolir vermes, eles vão penetram na corrente sanguínea, vivem como parasitas e causam doenças. Principalmente se for um caracol.
- Sanguessugas. Se você engolir uma sanguessuga, ela pode ligar para a passagem da garganta ou dentro do nariz. Ele vai sugar o sangue, criar uma ferida, e mudar-se para outra área. Cada ferida que sangra pode ser infectada.
desert-landscape-450

Dispositivo de filtragem de água

Se a água que você encontrar também é enlameada, estagnada, e de mau cheiro, você pode limpá-la:
Coloque em um recipiente e deixe repousar durante 12 horas, vertendo-a através de um sistema de filtragem. Nota: estes procedimentos só limpam a água e a tornam mais palatável. Você vai ter que purificá-la.
Para fazer um sistema de filtragem, coloque vários centímetros ou camadas de material de filtragem, tais como areia, brita, carvão vegetal, ou  pano, em um bambu ou tronco oco, com um furo embaixo, envolto com um artigo de vestuário por onde escoará a água em outro recipiente. Remova o odor da água, adicionando carvão vegetal a partir do seu "fogo". Deixe a água descansar por 45 minutos antes de beber.


Novidades no mercado em produtos 

Vimos isso no chamado  "Must Have Survival Gear of 2014", o equipamento "a garrafinha" LifeStraw Go que é, na nossa opinião, um caso forte para ser incluído em qualquer kit de sobrevivência. O corpo humano só pode sobreviver 3 dias sem água, ajudas de água deve ser o foco principal em qualquer kit de sobrevivência. 
Você sempre deve incluir uma folha de plástico para que você possa fazer uma cobertura solar ou coletar a água da chuva se possível, e você deve sempre incluir um método de purificação de água, seja ele um tablet ou um filtro. 
Então LifeStraw Go é uma garrafa de auto-filtragem de água. Você preenche com água estagnada ou outra qualquer que se pode encontrar, e, em seguida, apenas beba, a sua ação de sucção puxa a água através do filtro, limpando-a.
- "O blog não disponibilizará  imagens do produto. Estamos aqui somente para ajudá-lo saber de últimas novidades e tecnologias nessa área".
 - Continuando: Se já viu ou ouviu falar, então parabéns. Existe equipamentos de filtragem no comércio, e que faz sentido como um item de equipamento de sobrevivência, mas o que acontece quando você precisa andar para longe da fonte de água? 
Um navio transportando água é sempre uma boa idéia, isso mataria dois coelhos com uma cajadada só. 
A garrafa em si diz ser feita de tal material "BPA-Free Tritan". O equipamento filtro é leve e inclui um mosquetão resistente para prendê-la no cinto ou mochila. Ele promete filtrar os seguintes maus (entre outros): E. coli, Campylobacter, Vibrio cholera, Pseudomonas aeruginosa, Shigella, Salmonella, Giardia lamblia (castor feaver), Cryptosporidium parvum, Entamoeba histolytica.

Por aqui

Existe, sim, no nosso mercado uma garrafa "cantil" que purifica água.
Não sabemos direito como é o procedimento (a empresa dá poucas especificações do produto), mas é bom dar uma pesquisada e adquirir um.
Está à venda nas lojas Americanas: 

Cantil Purificador De Água Echolife - Cor Verde 

Confira, acesse aqui 


Para aliviar um pouco a sua cabeça de todo esse sol, veja mais em.. Acampando no verão

Nenhum comentário:

Postar um comentário