caping2

24.7.16

Santarém e Parintins

Como chegar -
BR-230: antes de entrar na Transamazônica peça informações à Polícia Rodoviária sobre  a estrada, que costuma ter trechos intransitáveis. De Marabá a Rurópolis o trânsito é regular, menos no período de chuvas (out/mai). Daí a Santarém são 220 km em obras. Para chegar a Parintins, só de avião (de Manaus) ou de barco (de Santarém ou Manaus).
Brasil-Santarém-200
Para visitar, em junho na época do Boi-Bumbá, Parintins funciona plenamente. Já Santarém é mais interessante durante a Festa do Sairé, em setembro, quando as praias fluviais surgem, permanecendo assim até meados de fevereiro.
Santarém-403-Campingnatural

Santarém

Porto fluvial.
◬51 m. Belém 50 horas de barco, Itaituba 371, Altamira 629, Marabá 1 087.
É uma típica cidade amazônica, banhada pelos rios Tapajós, de águas azuladas, e o barrento Amazonas. Apresenta florestas, igapós (matas inundadas), muitos lagos e igarapés, tudo a poucos minutos do Centro. Na Vila de Alter do Chão formam-se, na época da vazante (de julho a dezembro), praias fluviais. No Museu do Índio podem ser vistos o artesanato de várias tribos e a cerâmica tapajônica.

Santarém foi fundada pelo Padre João Felipe Bettendorff, sob o nome de "Aldeia dos Tapajós", após foi elevada à categoria de vila pelo governador da província do Grão Pará, Francisco Xavier de Mendonça Furtado, recebendo então o nome de Santarém em homenagem a cidade portuguesa de mesmo nome. Santarém foi elevada à categoria de cidade, em 24 de outubro de 1948 em consequência de seu notável desenvolvimento.
Situa-se na junção dos rios Tapajós e Amazonas. Com a decadência da mineração no Estado, as atividades econômicas marcantes são a pesca e o turismo.

Em Santarém não há áreas de camping estruturado (só selvagem) uns poucos hotéis e algumas pousadas.Você encontra um camping somente na Capital do Estado, próximo ao centro. Mesmo assim, alumas áreas podem ser quase selvagens.
Pousada Camping ABC - Trav. Elias Saraiva - Vila do Algodoal, Algodoal - PA: área para camping próximo Praia da Caixa D'água.


Alter do Chão (Santarém)

Alter do Chão é um dos distritos administrativos do município de Santarém, localizado na margem direita do Rio Tapajós, dista do centro da cidade cerca de 37 km através da rodovia Everaldo Martins (PA-457).  
É o principal ponto turístico de Santarém, pois abriga a mais bonita praia de água doce do mundo! segundo o jornal inglês The Guardian, ficando conhecida popularmente como "Caribe Brasileiro".
Nas margens do rio Tapajós e do Lago Verde, em Alter do Chão, existem diversas praias. A mais famosa delas é a praia de mesmo nome do distrito, localizada em uma península com terrenos arenosos e inundáveis, é também conhecida como "Ilha do Amor".
Alter do Chão também é a porta de entrada para outros balneários, como, por exemplo Pindobal e Porto Novo, em Belterra, e Ponta de Pedras, em Santarém.
Festa do Sairé - O festival folclórico conhecido como Festa do Sairé é o mais importante do município de Santarém. Durante o período de festejos, ocorre o sincretismo entre rituais religiosos, ligados ao catolicismo, e profanos, este último de origem indígena e enraizado entre os atuais habitantes. Lendas regionais, como a do boto amazônico, também são representadas.
Ecoturismo em Alter do Chão - Alter do Chão é um verdadeiro paraíso cercado de muitas praias, matas, locais exóticos, permitindo você acampar "selvagem" gratuitamente em qualquer um desses locais.


★★★ Parque Nacional da Amazônia

Com área de 994 mil ha. As visitas são acompanhadas por monitores do Ibama. Existem várias trilhas interpretativas, locais para observação de pássaros, ou outros animais, de acordo com o interesse do grupo. Na época seca, pode-se desfrutar de praia a beira do Rio Tapajós. 
A vegetação do parque reúne grande diversidade de espécies como seringueira, castanha-do-pará e jacarandá. A fauna é igualmente rica em variedade destacando-se o tamanduá-bandeira, a ariranha, o peixe-boi e botos, tartarugas e jacarés. Há também mais de 250 espécies de aves, como garça-real, maguari e colhereiro. 
Acesso: de Santarém até Itaituba, pelo Rio Tapajós, barcos regionais diariamente (18 h de viagem). Outra opção é ir de avião, partindo de Belém ou Santarém até Itaituba. Em Itaituba segue-se de carro por 67 km em terra pela Transamazônica (BR-230). Visita somente com autorização do Ibama em Itaituba. Há recolhimento de taxa. Dispõe de 4 casas (para até 12 pessoas cada) com acomodações completas (inclusive roupa de cama).


Parintins

Beira-rio.
◬27 m. Manaus (acesso por avião 1h15 ou por barco 26h), Santarém (acesso por avião 1h20 ou por barco 20h), Óbidos 12 horas de barco, Belém 60 horas de barco.
Nota-se que não há estradas principais ou pavimentadas, muitas em obras.
Santarém-404-Campingnatural
Dentro de uma grande ilha no meio do Amazonas, Parintins ganha as páginas dos jornais e muitos visitantes na época do Boi-Bumbá, em junho. É o Carnaval amazônico que conta as lendas indígenas com música, dança e desfile de alegorias e mostra figuras regionais típicas, como o caboclo, o pescador e o pajé.
Culinária - Parintins abriga estabelecimentos que oferecem pratos típicos da culinária local. A gastronomia da ilha está baseada no peixe. Os mais apreciados são o curimatã, jaraqui, pirarucu, matrinchã, pescada, tambaqui, tucunaré, pacu, sardinha, bodó e tamuatá, que são servidos em moquecas, postas, bolinhos, assados, fritos e em caldeirada. 
As receitas mais conhecidas utilizam peixes de água doce e carne de búfalo. Entre as mais populares estão o tambaqui moqueado, caldeirada de tucunaré com pirão, maniçoba, pirarucu assado, bolinhos de piracuí, peixe no tucupi, pato no tucupi, caldeirada de bodó, bodó assado e no vinho, e tacacá. 
Música - Na música, os destaques de Parintins são: a Toada, (ritmo característico da região) além do forró e outros ritmos nacionais. 
A toada - é um estilo musical proveniente da cidade, que conta com danças folclóricas com temática indígena, cabocla e ribeirinha e é executada principalmente na época do Festival Folclórico no mês de junho e nos ensaios dos bois Garantido e Caprichoso, porém, é executado o ano inteiro, tendo grupos que só tocam esse estilo musical, inclusive já foram gravados Louvores à Deus nesse estilo musical.
O forró  - é um estilo musical que foi trazido pelos nordestinos que vieram na época da borracha e depois dela. O forró recebeu uma nova roupagem com danças acrobáticas só encontradas no Amazonas. Existem várias bandas locais que são especializadas no estilo. Há também uma mistura do tradicional forró com músicas caribenhas.

Os brincantes são filiados a duas agremiações rivais - o Boi Garantido e o Boi Caprichoso - que disputam a soberania todos os anos.
Apesar do grande potencial turístico com suas belezas naturais, a ilha vive da extração e exportação de madeira e do gado de leite e corte.

Em Parintins não há campings, somente alguns hotéis e pousadas razoáveis.
Para acampar em Parintins, só camping selvagem. O destino, e única saída, é ir até Manaus para encontrar um local melhor, que será difícil, pois tudo é selvagem mesmo.
Camping Praia da Lua - Manaus: camping selvagem na praia, pegar lancha na Marina do Davi com destino Praia da Lua, e bom levar todos suprimentos de camping (comidas e bebidas).


Evento

Festival folclórico

Desfile e disputa entre os bois-bumbás, agremiações de foliões rivais batizadas de Garantido e Caprichoso, que acontece nos dias 28, 29 e 30 de junho. Cada um utiliza 3h por noite para encenar as lendas da Amazônia e o cotidiano do ribeirinho, do pescador e do seringueiro por meio de danças de influência indígena, toadas e gigantescas alegorias. Cerca de 100 mil pessoas assistem o espetáculo. A capacidade de hospedagem da cidade é limitada. A saída é acomodar-se nos barcos ou nas cercas de 100 casas de famílias que alugam quartos. É recomendável reservar ingressos, hospedagem e transporte com antecedência (a partir de abril).



Atenção: O blog Camping Natural não se responsabiliza por alterações realizadas pelos estabelecimentos (infra-estrutura, roteiro, etc.) após o fechamento desta postagem.


Nenhum comentário:

Postar um comentário